Imprensa livre e independente
11 de agosto de 2017, 20h40

Tribunal Popular: Lava Jato é condenada por unanimidade

Juristas renomados fizeram um júri popular da operação em seu principal habitat, a cidade de Curitiba  Por Frédi Vasconcelos, de Curitiba  Os excessos e as ilegalidades da Lava Jato foram condenados por unanimidade pelos jurados do Tribunal Popular instalado em Curitiba nesta sexta-feira (11). A opção de considerar a operação inimputável por problemas psicológicos, tese defendida pelo advogado de defesa, Antonio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, foi desconsiderada. Como afirmou o jurado Lincoln Schroder, a pena para o distúrbio de personalidade poderia até ser aplicada a alguns membros, mas não à operação como um todo. Mas os jurados que...

Juristas renomados fizeram um júri popular da operação em seu principal habitat, a cidade de Curitiba 

Por Frédi Vasconcelos, de Curitiba 

Os excessos e as ilegalidades da Lava Jato foram condenados por unanimidade pelos jurados do Tribunal Popular instalado em Curitiba nesta sexta-feira (11). A opção de considerar a operação inimputável por problemas psicológicos, tese defendida pelo advogado de defesa, Antonio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, foi desconsiderada.

Como afirmou o jurado Lincoln Schroder, a pena para o distúrbio de personalidade poderia até ser aplicada a alguns membros, mas não à operação como um todo. Mas os jurados que falaram sobre seus votos, em sua maioria advogados ou juristas, apontaram outros fatos como a parcialidade excessiva e a partidarização não só da Lava Jato, mas do Judiciário, do Ministério Público e da Polícia Federal. E a falta de respeito aos advogados e aos direitos da defesa.

Outro ponto destacado por vários dos jurados foi o estado de exceção em que vivemos, com as prisões preventivas excessivas para obter delações premiadas, conduções coercitivas, delações forçadas e condenações sem provas. E a ligação entre a operação e a grande mídia comercial, que potencializa seus efeitos e suas consequências contra a democracia. Como diz a jurada Ana Maria, “achava que a democracia estava consolidada e estávamos passando Brasil a limpo quando me deparei com estado de exceção. Não é só Lava Jato que está nos bancos dos réus, mas sim todo o Judiciário.”

Veja também:  Em menos de 36 horas, vakinha de Zé de Abreu está perto do objetivo

Foram levantados ainda os interesses de outros países, principalmente os Estados Unidos, na quebra de grandes empresas brasileiras que concorriam no mercado internacional e a entrega de riquezas, como o petróleo, a empresas estrangeiras.

O tribunal popular foi organizado pelo coletivo Advogadas e Advogados pela Democracia e pela Frente Brasil de Juristas pela Democracia. O evento contou com um corpo de jurado composto por Beatriz Vargas Ramos, Marcello Lavenère, Antônio Maues, Juliana Teixeira, Gerson Silva, José Carlos Portella Júnior, Michelle Cabrera, Claudia Maria Barbos e Vera Karam Chueiri. O ex-ministro da Justiça e procurador Eugênio Aragão foi o responsável pela acusação. A defesa ficou com Antonio Carlos de Almeida Castro. A presidência do Tribunal coube ao magistrado Marcelo Tadeu Lemos, juiz de Direito em Alagoas.

Confira como foi a primeira parte do tribunal aqui e a segunda aqui.

 

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum