Imprensa livre e independente
10 de dezembro de 2014, 12h53

Universidade Federal do Rio Grande do Sul aprova uso do nome social

Transexuais e travestis que estudam ou trabalham na instituição terão o direito de usar o nome de acordo com sua identidade de gênero.

Transexuais e travestis que estudam ou trabalham na instituição terão o direito de usar o nome de acordo com sua identidade de gênero Por Redação A Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) aprovou a regulamentação da utilização do nome social para travestis e transexuais no âmbito da instituição. A medida foi aprovada no último dia 5, na reunião do Conselho Universitário (CONSUN). De acordo com o comunicado divulgado pela universidade, fica garantido “para estudantes e servidores, a possibilidade de uso e de inclusão do nome social nos registros acadêmicos ou funcionais. A decisão entra em vigor no primeiro...

Transexuais e travestis que estudam ou trabalham na instituição terão o direito de usar o nome de acordo com sua identidade de gênero

Por Redação

A Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) aprovou a regulamentação da utilização do nome social para travestis e transexuais no âmbito da instituição. A medida foi aprovada no último dia 5, na reunião do Conselho Universitário (CONSUN).

De acordo com o comunicado divulgado pela universidade, fica garantido “para estudantes e servidores, a possibilidade de uso e de inclusão do nome social nos registros acadêmicos ou funcionais. A decisão entra em vigor no primeiro semestre letivo de 2015”.

Com a medida, o nome social será o único exibido em todos os documentos de uso interno da faculdade, tais como crachá, cartão de identificação e listas de presença. A iniciativa garante o trato pela identidade de gênero declarada pelo aluno e vale também para a utilização de toaletes.

Para conferir a resolução na íntegra, clique aqui. 

Foto: UFRGS

Veja também:  Começa desmonte: Petrobras vende BR Distribuidora por R$ 9 bi

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum