Imprensa livre e independente
03 de julho de 2019, 07h18

Vaquinha de Roberto Alvim, diretor teatral convertido ao bolsonarismo, não bate meta

Rodrigo Alvim encerrou vaquinha virtual com R$ 18 mil de arrecadação - o objetivo era R$ 30 mil. “O restante vou parcelar com o proprietário e tirar do meu salário em Brasília”, diz

Roberto Alvim e Bolsonaro (Reprodução/Facebook)
A vaquinha realizada pelo diretor de teatro Roberto Alvim com o objetivo de sanar dívidas de R$ 30 mil de seu teatro, o Club Noir, foi encerrada nesta quarta (3) com R$ 18 mil de arrecadação. Inscreva-se no nosso Canal do YouTube, ative o sininho e passe a assistir ao nosso conteúdo exclusivo Alvim, que se dizia perseguido por ter apoiado Jair Bolsonaro para presidência, abriu, no dia 24 de julho, uma vaquinha virtual pedindo ajuda para pagar as dívidas do Club Noir, que ele ameaçava fechar. Depois de mais de dez dias, ele decidiu encerrar a arrecadação e parcelar o valor...

A vaquinha realizada pelo diretor de teatro Roberto Alvim com o objetivo de sanar dívidas de R$ 30 mil de seu teatro, o Club Noir, foi encerrada nesta quarta (3) com R$ 18 mil de arrecadação.

Inscreva-se no nosso Canal do YouTube, ative o sininho e passe a assistir ao nosso conteúdo exclusivo

Alvim, que se dizia perseguido por ter apoiado Jair Bolsonaro para presidência, abriu, no dia 24 de julho, uma vaquinha virtual pedindo ajuda para pagar as dívidas do Club Noir, que ele ameaçava fechar.

Depois de mais de dez dias, ele decidiu encerrar a arrecadação e parcelar o valor restante. “O restante vou parcelar com o proprietário e tirar do meu salário em Brasília”, disse segundo a colunista Mônica Bergamo, da Folha.

O diretor foi indicado pelo governo para assumir a direção do Centro de Artes Cênicas da Funarte e foi alvo de duras críticas no setor, inclusive da atriz Regina Duarte.

Veja também:  FHC sai em defesa de Aécio e acusa PSDB: “Jogar filiados às feras é oportunismo sem grandeza”

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum

#tags