Imprensa livre e independente
27 de setembro de 2018, 15h45

Vice de Bolsonaro, general Mourão diz que “mulheres estão em cima do muro”

Mourão disse ainda que artistas e intelectuais são "patrulhados ideologicamente" e passaram por uma "lavagem cerebral" para defenderem voto contra Bolsonaro.

Arquivo
Em entrevista à agência de notícias Reuters nesta quinta-feira (27), o general Hamilton Mourão (PSL), candidato a vice na chapa encabeçada por Jair Bolsonaro (PSL), minimizou o movimento das mulheres contra o presidenciável do partido, liderado por artistas e intelectuais, e disse que “as mulheres estão em cima do muro”. “Estão em cima do muro aguardando a semana que vem para tomarem essa decisão e por isso que há uma intenção de voto menor em relação às mulheres do que nos homens”, afirmou. “Você sabe que o homem quando entra numa loja ele vai lá e compra, acabou, a mulher...

Em entrevista à agência de notícias Reuters nesta quinta-feira (27), o general Hamilton Mourão (PSL), candidato a vice na chapa encabeçada por Jair Bolsonaro (PSL), minimizou o movimento das mulheres contra o presidenciável do partido, liderado por artistas e intelectuais, e disse que “as mulheres estão em cima do muro”.

“Estão em cima do muro aguardando a semana que vem para tomarem essa decisão e por isso que há uma intenção de voto menor em relação às mulheres do que nos homens”, afirmou. “Você sabe que o homem quando entra numa loja ele vai lá e compra, acabou, a mulher leva um tempo para comprar, né? É a mesma lógica, a lógica é igual”, comparou.

Lavagem cerebral
Mourão disse ainda que artistas e intelectuais passaram por uma “lavagem cerebral” para defenderem voto contra Bolsonaro. “O que você vê nitidamente é que a nossa classe artística aí, a classe intelectual, esse pessoal passou por um processo de lavagem cerebral que parece que só tem uma visão de mundo para eles”.

Veja também:  "Não tenho medo de ditador, de subditador, de projeto de ditador", diz Flávio Dino

Segundo o general, os artistas são “patrulhados ideologicamente”. “Então, se eles não tomam essa posição, eles perdem até o emprego. Então eu tenho até pena da classe artística, porque parece até que eles pararam de pensar”, disse.

Com informações da Agência Reuters

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum