Kássio Nunes, braço bolsonarista no STF, libera cultos enquanto Brasil caminha para 5 mil mortes diárias

Primeiro nomeado de Jair Bolsonaro no Supremo Tribunal Federal (STF), o ministro Kássio Nunes Marques levou a sério a máxima de Eduardo Pazuello no Ministério da Saúde, de que “manda quem pode, obedece quem tem juízo” e em uma canetada liberou cultos e missas presenciais em todo o Brasil às vésperas da Páscoa. A decisão […]

Primeiro nomeado de Jair Bolsonaro no Supremo Tribunal Federal (STF), o ministro Kássio Nunes Marques levou a sério a máxima de Eduardo Pazuello no Ministério da Saúde, de que “manda quem pode, obedece quem tem juízo” e em uma canetada liberou cultos e missas presenciais em todo o Brasil às vésperas da Páscoa.

A decisão foi comemorada por Bolsonaro e pastores midiáticos, como SIlas Malafaia, que usam o bolsonarismo para impulsionar sua sanha pelo dízimo dos fiéis.

Como descreve Nabil Bonduki, em seu artigo na Folha hoje, ao sucumbir aos desejos de Bolsonaro – assim como fez na votação da parcialidade de Moro -, Nunes Marques torna-se cúmplice do genocídio ao permitir que templos virem locais de suicídios coletivos.

Avatar de Plinio Teodoro

Plinio Teodoro

Jornalista, editor de Política da Fórum, especialista em comunicação e relações humanas.

Em 2021, escolha a Fórum.

Fazer jornalismo comprometido com os direitos humanos e uma perspectiva de justiça social exige apoio dos leitores. Porque se depender do mercado e da publicidade oficial de governos liberais esses projetos serão eliminados. Eles têm lado e sabem muito bem quem devem apoiar.

Por isso, neste momento que você está renovando suas escolhas e está pensando em qual site apoiar, que tal escolher a Fórum?

Se fizer isso, além de garantir tranquilidade para o nosso trabalho, você terá descontos de no mínimo 50% nos cursos que já temos em nossa plataforma do Fórum Educação.

Renato Rovai
Editor da Revista Fórum

APOIAR