segunda-feira, 21 set 2020
Publicidade

PANDEMIA, Bolsonaro e a RESISTÊNCIA do setor CULTURAL

O Fórum Café recebe o músico, violeiro, pesquisador e professor Ricardo Vignini e o deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP)

A classe artística foi deixada à mingua pelo governo de Jair Bolsonaro e o resultado é catastrófico. Duramente castigado durante com isolamento necessário durante a pandemia da Covid 19, o setor cultural só teve um fôlego em julho, quando foi publicada a Lei Aldir Blanc para garantir renda emergencial também para os trabalhadores da cultura e manutenção dos espaços culturais brasileiros.

Pesquisa feita pelo Observatório da Economia Criativa da Bahia mostra que quase 80% dos envolvidos com o setor cultural não tinham vínculo empregatício quando estourou a epidemia e foram fortemente impactados. A maioria das empresas envolvidas com algum tipo de atividade cultural demitiram trabalhadores e reduziram salários. Muitos artistas tiveram de migrar outras atividades. Os que resistem, buscam na internet os meios de produção e divulgação da arte.

E o senado brasileiro só deve analisar o projeto de lei que inclui os profissionais da cultura entre os beneficiários da MP que prorrorogou o benefíciono valor de R$ 300 nos próximos dias.

Esse e outros assuntos você acompanha no Fórum Café que hoje o músico, violeiro, pesquisador e professor Ricardo Vignini e o deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP).

Plinio Teodoro
Plinio Teodoro
Plínio Teodoro Jornalista, editor de Política da Fórum, especialista em comunicação e relações humanas.