À Beira da Palavra

Fórumcast, o podcast da Fórum
26 de outubro de 2015, 09h48

O ENEM – Sobre a macheza, Simone de Beauvoir e questões negras

“Domingo à noite, abandonávamos as amarras elegantes do ceticismo e nos esbaldávamos com a esplêndida animalidade dos negros da Rua Blomet!”

(Simone de Beauvoir, no deslumbramento dos anos 40 – Publicado em “A Força da Idade”, em 1960)

Grandeza o tema da redação do Enem. Questionando o miolo da covardia que predomina, as suas contradições e rumos espinhosos. Educação ensinando convívio supera a anestesia do controle remoto e o amém na hipnose das multidões.

Vasta fortaleza as frases de Gloria Evangelina Anzadúa na prova de inglês, domingo, e os versos pan-africanos de Agostinho Neto no sábado.

Ao tema da redação um brinde, um alívio, uma esperança diante do dia a dia de fuleiragem orquestrado pelo machismo que escalpela em todo canto, do Congresso Nacional aos becos, referendando assédio e estupro, mãos masculinas ditando leis e fivelas para as mulheres.

Trincam os machos das igrejas, dos banheiros, do vagão de trem e dos tribunais, mas imagino também a hipocrisia tirando nota alta, valentões desenrolando parágrafos e escrevendo o que desacreditam só pra passar na prova. (Ou será apenas por ‘falta de consciência” que se aperta o gatilho ou se comete assédio sexual?)

Mas… sobre Beauvoir, da prova de sábado:

Considerando-se sua frase clássica e fundamental, a que não se nasce e sim torna-se mulher, e não esquecendo suas contribuições e instigas, pelo prisma de Madame Beauvoir @s pret@s da “animalidade” sequer tinham nascido gente?

Ah, imagino as grandes que já se foram mas ajardinaram nossa horta regada a sangue… as reflexões de Thereza Santos, Lélia Gonzaléz, Beatriz Nascimento, Sarah Rute Barbosa e Azoilda Trindade nos currículos e movimentos escolares, os cultivados nos temas e jeitos da educação popular.

Hora virá.

Enquanto ainda rola esta furada de prova-teste pra vestibular… pena que é isso, que é prova. Funil farpado de acesso. Mas isso é treta de estrutura. Não se deixa de comemorar golaços porque há marquetagem e politicagem nas patranhas do futebol.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum