Blog do Mouzar

16 de março de 2011, 15h37

Crônicas de Flávio Aguiar

Amanhã, quinta-feira, tem lançamento de um livro de Flávio Aguiar no restaurante Soteropolitano, rua Fidalga, Vila Madalena.
Ele é um grande escritor e grande amigo. Não li o livro ainda, mas tenho certeza de que é ótimo. Estarei lá. Se puderem, compareçam também, que vão gostar.
Abraços.
Mouzar
Crônicas do mundo ao revés

de Flávio Aguiar
Em seu primeiro livro escrito em Berlim, onde vive desde 2007, o escritor e professor de Literatura Brasileira da USP Flávio Aguiar desafia o leitor a distinguir ficção de realidade em dezenove histórias de amor, ódio e sobrevivência. Em Crônicas do mundo ao revés (Boitempo Editorial) – livro de contos, crônicas e “causos” –, a ambiguidade é anunciada logo no início: uma das condições do mundo ao revés é não levar a sério demais quem narra, avisa o autor.
Exercendo liberdade total de expressão, Aguiar constrói múltiplos narradores que não se guiam pelo ideal do politicamente correto. Cada história é um fragmento de estilo, e o conjunto forma uma unidade tão controversa quanto a própria identidade do ser humano. Dividida em quatro partes (“Tempos difíceis”, “Palavras difíceis”, “Causos difíceis” e “Histórias difíceis”), a obra trata de uma variedade de temas que vão da história familiar do autor aos tempos da ditadura militar e suas cicatrizes na vida brasileira.
O lançamento acontece no dia 17/03, quinta-feira, à partir das 19h. O evento contará com sessão de leitura do livro no restaurante Soteropolitano, localizado na Rua Fidalga, 340, Pinheiros, São Paulo.
 
Sobre o autor

Veja também:  Livros, música e democracia na praça

Flávio Aguiar nasceu em Porto Alegre (RS), em 1947, e reside atualmente na Alemanha, onde atua como correspondente para publicações brasileiras. Foi professor de Literatura Brasileira da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo de 1973 a 2006 e hoje é pesquisador do programa de pós-graduação da disciplina. Orientou mais de quarenta teses e dissertações de doutorado e mestrado. Tem mais de trinta livros de crítica literária, ficção e poesia publicados, entre os de autoria própria, organizados, editados ou antologias. Ganhou por três vezes o prêmio Jabuti da Câmara Brasileira do Livro, sendo um deles com o romance Anita, também publicado pela Boitempo Editorial.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum