Blog do Rovai

17 de fevereiro de 2016, 17h59

Análise: Picciani reeleito faz governo respirar e Cunha sofrer sua maior derrota

O Palácio agora tem todas as condições de dialogar com outras bancadas para impedir que o processo de impeachment na Câmara tenha continuidade

cunha perde de picciani

A reeleição de Leonardo Picciani (RJ(, que teve 37 votos contra 30 de Hugo Mota (PI) para a liderança do PMDB é a primeira grande vitória da dupla Wagner-Berzoini, que assumiu a articulação política em substituição a Aloisio Mercadante no final do ano passado exatamente para fazer com que o governo parasse de acumular derrotas nos embates contra Eduardo Cunha.

A vitória de Picciani é claramente uma grande derrota de Cunha e ao mesmo tempo uma moderada vitória de Dilma, que passa a respirar não só com aparelhos.

Se o governo Dilma fosse derrotado hoje, dificilmente conseguiria terminar o ano bem. Com a vitória, pode ao menos acumular esperanças de lutar por dias melhores.

O Palácio agora tem todas as condições de dialogar com outras bancadas para impedir que o processo de impeachment na Câmara tenha continuidade. Para isso, porém, vai ter de garantir com Picciani que ele indique ao menos seis dos oito membros do partido para votar contra o processo.

Se isso acontecer, as outras bancadas perceberão que ou ficam com o governo ou ficarão sem nada. Afinal, Cunha já não tem quase nada a oferecer e sua derrota de hoje deixou claro que até no seu partido sua força já é bem menor do que há 1 ano, quando sem que ele se posicionasse tão claramente na disputa, Picciani ganhou por apenas um voto.

Dilma agora tem melhores condições no Congresso, mas isso não resolve todos os seu problemas. Se o governo não apresentar um plano arrojado para tirar o Brasil da recessão, depois de junho a presidente não vai ter um candidato a prefeito para lhe defender. E aí, a onda que pode estar arrefecendo agora, pode retornar com a força de um tsunami.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum