sexta-feira, 25 set 2020
Publicidade

Santos merecia um prefeito menos patético do que o menino do selfie

O prefeito de Santos, Paulo Alexandre Barbosa (PSDB), e o deputado federal Beto Mansur (PP), que também já foi prefeito da cidade por dois mandatos, protagonizaram uma das cenas mais bizarras da política dos últimos tempos. Mas como eles não são do PT e nem a Nana Gouvêa, que fez um selfie nos destroços do furação Sandy, em 2012, em Nova Iorque, e foi massacrada nas redes e na mídia, o patético absurdo foi invisibilizado.

No selfie divulgado na página do deputado no Facebook ainda na quinta-feira, quando se iniciou a tragédia, o comentário era de “tudo estava resolvido”.

Já faz quase uma semana e Santos vive uma das suas piores crises e sem saber o que fazer porque parece estar completamente sem comando. Uma cidade ardendo em chamas e ao mesmo tempo à deriva do ponto de vista político.

Um bizarro gabinete de crise foi instalado e a todo momento imagens de reuniões dos homens de terno que dele participam circulam pela mídia local como se as coisas estivessem tranquilas.

Não há nada tranquilo. Há riscos reais para a população do entorno da área e também para os que moram na Baixada Santista por conta do aumento do nível de poluição local.

Além disso, o incêndio está provocando uma catástrofe econômica e ambiental. O porto está praticamente sem operar e os cálculos são de que já morreram nos últimos dias mais de 10 toneladas de peixes.

O prefeito tucano enquanto isso, além de posar pra selfies, faz gracejos dizendo que tudo vai bem. Que tudo está tranquilo. Que tudo está sob controle.

É impressionante como o faz de conta midiático não cobra responsabilidade alguma dos que lhes são subservientes. Para esses, vale tudo. Inclusive pousar para selfies em frente a uma imensa tragédia.

Santos já teve políticos melhores…

Renato Rovai
Renato Rovai
Jornalista, mestre em Comunicação pela ECA/USP e doutor pela UFABC. Mantém o Blog do Rovai. É editor da Fórum.