quarta-feira, 30 set 2020
Publicidade

Minha candidata é a Renata, mas aceito conversar, diz Freixo

Deputado do PSOL avalia que uma unidade da esquerda pode leva à vitória em meio a vazio político na cidade

Troquei mensagens com o deputado Marcelo Freixo na manhã de hoje (sábado, 12). Ele estava preocupado com a repercussão de sua declaração de que aceitava conversar sobre retomar sua candidatura a prefeito do Rio de Janeiro caso haja unidade no campo da esquerda. Ou seja, caso PSB e PDT aceitassem participar de uma frente com seu nome à frente.

Freixo quer deixar claro que aceitar conversar não é se articular ou se movimentar para isso. Mas ouvir aqueles que estão defendendo a tese de uma grande articulação à esquerda.

Ele considera que há um vazio político no Rio de Janeiro e que é compreensivo que setores da sociedade busquem alternativas. Mas que não foi procurado por partidos para tratar de frente e que isso tem sido mais um desejo que vem da sociedade civil.

“Qualquer decisão será tomada com a Renata. Existe um vazio político. Paes é réu por corrupção, Crivella é o Crivella. Uma unidade da esquerda poderia nos levar à vitória. O Rio pode ser um espaço fundamental para 2020 e 2022. É isso que está em jogo. O movimento da sociedade é legítimo diante desse vazio. Fiquei sabendo disso pela imprensa. Se tiver unidade, aceito conversar”, finalizou.

Renato Rovai
Renato Rovai
Jornalista, mestre em Comunicação pela ECA/USP e doutor pela UFABC. Mantém o Blog do Rovai. É editor da Fórum.