quarta-feira, 30 set 2020
Publicidade

Prisão de Bannon é duro golpe na ultradireita mundial e pode atingir Bolsonaro

Não foi uma prisão qualquer a de Steve Bannon e não deve ser tratada com desdém pela esquerda o que ela pode significar para desbaratar o super esquema montado pela ultradireita em nível mundial.

Bannon não era apenas um estrategista de redes sociais para produção de fake news. Era o principal operador político e financeiro da máquina fascista que elegeu Trump e Bolsonaro e levou o Reino Unido ao Brexit.

Arrecadava recursos com imensa facilidade e os utilizava, pelo que se sabe agora, pra montar grandes campanhas de destruição de reputação, como também para se tornar cada dia mais bilionário.

Foi pego numa operação de arrecadação para a construção do muro dividindo México e EUA. Projeto para o qual conseguiu mover 25 milhões de dólares e do qual roubou 1 milhão.

Foi este o crime que o levou à cadeia.

Mas o esquema de arrecadação da turma bolsonarista que criou o acampamento dos 300, por exemplo, liderado por Sara Winter, foi gestado na barriga de aluguel tupiniquim de Bannon. Foi Olavo de Carvalho quem deu a ideia e forneceu a expertise para que recursos brotassem ali.

Bannon não terá vida fácil nos EUA, avaliou Heloisa Villela no Fórum Onze e Meia. Segundo ela, os promotores envolvidos no caso são os mesmos do Fifa Gate e não o prenderiam caso não tivessem provas fortes que o incriminassem.

Se o guru de Trump e Bolsonaro vier a se ver sem saída, pode fazer o que todo bandido malandro faz, delatar. Foi assim no Fifa Gate. Foi assim que Ricardo Teixeira foi preso.

E ai usará, como todos os delatores, de seletividade na delação.

Neste sentido, a história de como Bolsonaro se elegeu pode vir à tona. E é nisso que a esquerda brasileira deveria se agarrar. Demandar ao Ministério Público brasileiro que busque informações nos EUA se Bannon agiu por aqui.

E há uma oportunidade que não pode ser desconsiderada. O racha entre a Lava Jato e o governo Bolsonaro pode ajudar neste sentido. Pode permitir que Eduardo Bolsonaro e Olavo de Carvalho sejam delatados e se crimes cometeram nos EUA, virem a ser presos por lá.

Não é uma prisão qualquer. E o bolsonarismo já deve ter percebido isso.

Renato Rovai
Renato Rovai
Jornalista, mestre em Comunicação pela ECA/USP e doutor pela UFABC. Mantém o Blog do Rovai. É editor da Fórum.