Blog da Maria Frô

ativismo é por aqui

Entrevista exclusiva com Lula
03 de julho de 2016, 17h25

Paulo Pimenta: PNI, mais um instrumento do golpe?

POLÍTICA NACIONAL DE INTELIGÊNCIA: MAIS UM INSTRUMENTO DO GOLPE?
Por Paulo Pimenta, especial para o Maria Frô

O governo interino e golpista comando por Michel Temer apresentou, já em suas primeiras horas, uma agenda política de ruptura com a normalidade democrática e com o Estado de Direito. Desde seus primeiros atos, praticados num açodamento típico daqueles que sabem que a caneta em suas mãos não lhes pertence, Temer vem suprimindo direitos conquistados e rasgando a Constituição Federal. Agora, o golpe dá mais um passo largo para distanciar o Brasil da democracia.

Dentre tantos retrocessos democráticos que marcam o governo golpista, na semana que passou foi praticado um dos atos de maior relevância. Na quarta-feira, 29 de junho, foi editado o Decreto nº 8.793, que fixa a Política Nacional de Inteligência, medida que busca estabelecer as diretrizes para a atuação dos órgãos que compõem o Sistema Nacional de Inteligência. Trata-se de mais um esforço do governo interino e provisório para alteração da estrutura do Estado e criação de instrumentos para manutenção deste governo ilegítimo.

Havíamos alertado anteriormente para o manifesto autoritarismo do governo golpista de Michel Temer, ao comentar a edição da Medida Provisória nº 726, de 12 de maio de 2016, por meio da qual foi alterada significativamente a organização da Presidência da República e dos Ministérios. Com aquela Medida Provisória, o governo interino definiu as competências do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, subordinando a esse Gabinete – chefiado por um General – a Agência Brasileira de Inteligência, órgão de natureza civil.

Além da pressa com que foi adotada tal medida – sem a precedência de debates e a realização de estudos prévios que garantissem que o assunto fosse tratado com a importância que lhe é devida –, chama a atenção a seriedade da medida adotada, pois, na contramão de muitas sociedades democráticas, subordina a Agência Brasileira de Inteligência, ao comando militar, o que se assemelha – e muito! – às medidas antidemocráticas adotadas durante o período da ditadura militar e, mais uma vez, desmascara o golpe.

Não se trata de ser contra a existência de uma política de inteligência. Pelo contrário, compreendemos a relevância da organização dos órgãos de inteligência para atuação integrada na produção e difusão de conhecimento capaz de contribuir para o planejamento e execução de políticas de Estado. Criticamos, sim, que a instituição de tal política se dê por um governo não eleito, pouco mais de um mês após iniciar o exercício provisório das funções de Estado, com Ministros que sequer tiveram tempo de apropriar-se da proposta de Política. Criticamos, em especial, o fato de decreto ser assinado pelo vice-presidente e pelo ministro chefe do Gabinete de Segurança Institucional, recém agraciado com a missão de comandar as atividades de inteligência do país.

Tal medida não ocorre fora de contexto. O governo Temer tem viés autoritário que representa grave ameaça aos direitos humanos e sua própria existência é uma afronta à Constituição Federal. Com a edição desse decreto temos o cenário ideal para o aumento da repressão à resistência democrática.

Temer segue atacando a democracia. Primeiro para chegar ao poder, agora, para manter-se lá – na cadeira ainda aquecida pelo calor da presidenta democraticamente eleita e legítima ocupadora daquela posição – adota medidas que, cada dia mais, buscam vigiar, limitar e até repreender a atuação – pacífica e democrática – dos movimentos sociais e do exercício pleno da liberdade de expressão e da liberdade de manifestação pressupostos de uma sociedade livre, democrática e justa.

*Paulo Pimenta é deputado federal pelo Partido dos Trabalhadores


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum