Blog da Maria Frô

ativismo é por aqui

Fórumcast, o podcast da Fórum
07 de novembro de 2010, 12h33

Porque hoje é domingo: meu encontro com dona Rosa

Tem texto novo no blog da mulher: Sobre terrores e prazeres nos primeiros anos escolares trata-se de uma crônica de memórias, nascida de exercício acadêmico, para dialogar com professores em formação.

Na crônica tento reviver meu processo de alfabetização e letramento, os desafios de desenvolver o habitus escolar, a descoberta da literatura. Falo da importância de encontrarmos em nosso processo de formação educadores de fato e de direito que conseguem enxergar a criança em todas as suas dimensões.

Segue a introdução:

Memórias escolares da década de 1970

Sou a mais velha de cinco irmãos. Ao entrar na escola, em 1971, já tinha dois irmãos e o terceiro chegou quando eu estava na terceira série e o quinto na sexta série. Filha de mãe baiana de cultura rural que criou seus sobrinhos (já que era a caçula de uma família de dez irmãos), recebi dela o legado de me tornar ‘adulta’ muito cedo. Tinha muitas tarefas que nem sempre conseguia cumprir a contento. Lembro de apanhar logo pela manhã, porque ao sair para comprar açúcar não encontrei a marca usada pela mãe. Ela não era má, era jovem e com muitas responsabilidades. Com o pai sempre na estrada e ela tendo de lidar sozinha com tantos desafios, acabava por me forçar a crescer antes do tempo.

Talvez porque vivenciei essa infância distante da traçada pelo modelo clássico do século XVIII e tivesse muitas outras preocupações na vida que me impediam de experimentar o afeto também presente nos muros intra-escolares não me lembro dos rostos ou nomes de minhas primeiras professoras.

Mesmo assim, a escola para mim foi o lugar por excelência de encontro social, de fugir do trabalho árduo, das surras, dos gritos, dos arroubos violentos da mãe que pioraram muito ao longo dos anos e com a doença dela e os dois irmãos que vieram depois. Eu adorava ir à escola, chorava quando a mãe demorava a voltar e passava da hora de entrada.

Para continuar a leitura e conhecer a importância que Rosa (a senhora do meio na foto abaixo) teve em minha vida, clique aqui


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum