o colunista

por Cleber Lourenço

Fórum Educação
13 de março de 2020, 11h53

No auge do coronavírus, Paulo Guedes promete a cura

A verdade é que Guedes é o único responsável pelo mal humor da economia brasileira, como um curandeiro vendeu a panaceia de todos males: as famigeradas reformas

Paulo Guedes (Foto: Reprodução)

Não é de hoje que Paulo Guedes, o posto Ipiranga do presidente Jair Bolsonaro, dá sinais de delírio e desorientação.

Comentei hoje no meu podcast, mas quero aprofundar o assunto aqui.

Primeiro afirmou que se o dólar chegasse aos 5 reais seria por fazer muita besteira. O dólar chegou em 5 reais e Guedes desconversou: “Todos nós somos responsáveis”.

Nós quem? Guedes e sua equipe? Ou a sociedade brasileira como um todo?

Caso seja a segunda opção, ele é um canalha. Se for a primeira, é um coitado.

A verdade é que Guedes é o único responsável pelo mal humor da economia brasileira, como um curandeiro vendeu a panaceia de todos males: as famigeradas reformas.

Não trouxeram empregos, dinheiro ou sucesso.

Em seu novo movimento desesperado ele disse à revista Veja:

“Se promovermos as reformas, abriremos espaço para um ataque direto ao coronavírus. Com 3 bilhões, 4 bilhões ou 5 bilhões de reais a gente aniquila o coronavírus. Porque já existe bastante verba na saúde, o que precisaríamos seria de um extra. Mas sem espaço fiscal não dá”.

Agora vende as tais reformas como cura para o coronavírus, mesmo sem conhecimento na área da saúde (e aparentemente tampouco na economia) Guedes decide tirar números mágicos da cartola para agradas o rebanho bovino de celerados que não irá mais para as ruas neste próximo domingo.

Não sem antes a pelas para a tática tacanha de culpar o Congresso caso algo dê errado.

O recado do Congresso de que liberará orçamento é verbas para o governo combater a pandemia é um trabalho de profilaxia contra os descalabros que possam vir a surgir caso as coisas se complique. Também deixam o governo exposto.

Ao Brasil eles disseram: “fizemos a nossa parte, nosso trabalho está feito”.

Mesmo assim Guedes joga com as hordas, submeter o avanço econômico do Brasil e o combate de uma epidemia à uma série de projetos do governo é querer sim jogar com os extremistas.

Afinal de contas só restou isso ao governo, sem propostas, planos de ação ou qualquer tipo de projeto, só resta se apoiar nos radicais da Paulista.

Fora isso não há muito o que fazer, a verdade é que Guedes e o governo estão desesperados.

O que seria afinal de contas as tais 15 semanas de Guedes? Ele irá sair ou será chutado?

Sem um dos seus sustentáculos o governo irá sobreviver, depois disso só restará o tlsanto Moro, santo dos desvairados e extremistas no país. O exército já desembarcou, ficaram apenas alguns delinquentes que pagam para ver a indisciplina comer solta na caserna.

Mas enfim, a vida é seus preços…

Guedes em nenhum momento se dispôs a debater com os parlamentares de forma civilizada, sempre teve um relacionamento na base das cotoveladas.

Agora sem apoio, sem projeto e sem sucesso, só lhe resta vender a cura de uma doença com números tirados de uma cartola, tal qual como mágico e seus coelhos.

Até quando o país vai se sustentar em promessas?

Esse artigo não reflete necessariamente a opinião da Fórum


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum

#tags