Google Brasil revela aumento vertiginioso de 9900% na busca pelo termo “divórcio online gratuito”

Só a pergunta “como dar entrada em um divórcio” registrou crescimento de 82% no país

De acordo o Google Brasil, entre os dias 13 e 29 de abril, houve um aumento vertiginioso de 9900% na busca pelo termo “divórcio online gratuito”. No levantamento, que abrange todo o País, só a pergunta “como dar entrada em um divórcio” registrou crescimento de 82%.

Também de acordo com dados do Google, a empresa Divórcios Brasil registrou em janeiro 55 contatos para separação. Em abril, esse número pulou para 133 contatos.

O levantamento, que sai na próxima revista Pais & Filhos, leva em conta separações de uniões reconhecidas pela lei, mas, ao que tudo indica, casais que apenas dividem o teto também estão terminando relacionamentos.

Flávia, 41, mora junto com o namorado há 2 anos, com quem se relaciona há quase 4. Ambos são advogados e tinham uma vida social muito intensa pré-pandemia. O isolamento explicitou traços de personalidades que, segundo ela, desagradam os dois. Do lado dela, incomoda a displiscência com os serviços domésticos, que acabam sobrando pra ela, e, do lado dele, que não quis se identificar, a reclamação é de que o humor dela “mudou”. Os dois pensam em seguir o relacionamento em casas separadas quando chegar o fim da pandemia.

Em um grupo de mulheres, a reclamação é unânime na questão da divisão do trabalho Já muitos homens, segundo relato de suas companheiras, reclamam que “ajudam” em casa mas as mulheres seguem reclamando.

Renata, 33, casada há 2, diz que seu marido faz as tarefas, mas só depois que ela pede. “A carga mental pesa tanto quanto o trabalho braçal”, diz ela. “Me passou pela cabeça separar, mas acho que ainda é cedo”, pondera. “Mas os casais com mais tempo de relacionamento estão realmente mais desgastados e muitos estão se dissolvendo”, observa Renata.

Avatar de Clara Averbuck

Clara Averbuck

Escritora e jornalista, autora de 9 livros.

Em 2021, escolha a Fórum.

Fazer jornalismo comprometido com os direitos humanos e uma perspectiva de justiça social exige apoio dos leitores. Porque se depender do mercado e da publicidade oficial de governos liberais esses projetos serão eliminados. Eles têm lado e sabem muito bem quem devem apoiar.

Por isso, neste momento que você está renovando suas escolhas e está pensando em qual site apoiar, que tal escolher a Fórum?

Se fizer isso, além de garantir tranquilidade para o nosso trabalho, você terá descontos de no mínimo 50% nos cursos que já temos em nossa plataforma do Fórum Educação.

Renato Rovai
Editor da Revista Fórum

APOIAR