sábado, 31 out 2020
Publicidade

Bolsonarista diz que mulher de biquíni em conversível no Leblon é “moça da vida e drogada”

Ameaçada de processo, Aline Araújo apagou as acusações de suas redes sociais. Arquiteta jogou água em mulheres que estavam se beijando e cena viralizou nas redes

A arquiteta que jogou água nas mulheres que estavam se beijando de biquíni em um carro conversível no Leblon gravou diversos vídeos na noite deste sábado (26) dizendo que ambas são “moças da vida”. Ameaçada de processo, ela apagou as acusações de suas redes sociais poucas horas depois.

Nos vídeos, publicados em seu perfil no Instagram, Aline chamava as mulheres de “moças da vida que estavam sendo pagas para fazer aquilo ali” e que Sheila, a mulher que desceu do carro e a agrediu, estaria “drogada”. A arquiteta ainda sugeriu que as duas estavam fazendo preliminares como em um “filme pornô”. A informação é do Metrópoles.

Priscilla Dornelles, uma das mulheres que estava dentro do carro, disse à coluna que vai processar a arquiteta. “O que ela fez foi difamação. Não sou garota de programa e nem a Sheila. Will não nos contratou, ele é nosso amigo. Estávamos nos divertindo. Passamos a tarde andando de barco e na volta para casa resolvemos passar para ver o movimento naquela rua. Vou entrar com um processo por calúnia e difamação”, afirma.

O caso aconteceu na sexta-feira (25), quando dezenas de pessoas bebiam nas mesas da calçada de um bar na rua Dias Ferreira, área nobre do Leblon. Um carro importado e conversível que passava pela rua chamou a atenção de todos por estar ocupado com duas mulheres de biquíni e um homem que, segundo testemunhas, se beijavam e trocavam carícias.

Aline, que estava na mesa do bar, não gostou do que viu e arremessou um copo contra o carro. Sheila, uma das mulheres de biquíni, desceu do veículo e agrediu a mulher da mesa. Um homem que estava perto se levantou e foi atrás da mulher de biquíni, que correu para o carro. A cena viralizou nas redes sociais.

Bolsonarista

Nas redes sociais, Aline Araújo possui diversas publicações que denunciam seu posicionamento a favor do presidente Jair Bolsonaro. Em 2018, ano das eleições, a arquiteta disse que “fica no Bolsonaro” e que também é “Moro de coração”. Com a pandemia, no entanto, ela passou a criticar atitudes do ex-capitão.

“Primeiro, se combate a corrupção. Depois se caça quem estiver fora da lei! Em poucas horas será decisivo o voto eloquente para o país. Ou continuamos com esta corja no poder – e seja o que deus quiser – ou tomamos um rumo diferente, talvez desconhecido, mas com muito mais cobrança e vigília”, afirma.

“Fico no Bolsonaro, até porque sempre fui aventureira, e sempre obtive sucesso desbravando que permanecendo no mesmo lugar. Ah, ia me esquecendo… sou Moro de coração. Este sim, me representa”, continua.

Em publicação feita em março deste ano, no entanto, a arquiteta mostra seu descontentamento com o presidente. “Vamos ver se o Bolsonaro vai deixar a filha dele frequentar a escola normalmente enquanto milhares de pessoas estiverem com coronavírus e outras tantas morrendo nos hospitais”, escreve.

Luisa Fragão
Luisa Fragão
Jornalista.