Quilombação solta nota de pesar pelo falecimento de Marisa Letícia e repudiando as intolerâncias

NOTA DA REDE QUILOMBAÇÃO A Rede Antirracista QUILOMBAÇÃO, entidade suprapartidária de combate ao racismo, manifesta o seu pesar pela morte da sra. Marisa Letícia, esposa do ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva, noticiada no dia 2 de fevereiro, consagrado a Yemanjá, tida como mãe de todos os orixás. Marisa não foi apenas esposa de Lula, […]

dona-marisa

NOTA DA REDE QUILOMBAÇÃO

A Rede Antirracista QUILOMBAÇÃO, entidade suprapartidária de combate ao racismo, manifesta o seu pesar pela morte da sra. Marisa Letícia, esposa do ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva, noticiada no dia 2 de fevereiro, consagrado a Yemanjá, tida como mãe de todos os orixás.
Marisa não foi apenas esposa de Lula, mas também uma companheira de luta. Durante a prisão de Lula e seus companheiros sindicalistas na ditadura militar, organizou uma passeata de mulheres em prol da libertação dos presos políticos.

A sra. Marisa foi alvo de toda a sorte de preconceitos por ser de origem humilde, trabalhadora desde criança, que passou pelo trauma de ter seu primeiro marido assassinado a tiros. Nos seus últimos dias de internação, pessoas de inspiração nazifacista chegaram a fazer protestos em frente ao hospital e ainda teve exames seus divulgados ilegalmente pelas redes sociais. Altiva, enfrentou as demonstrações de ódio e preconceito de forma discreta, algumas vezes bem humorada, quando em 1989, Paulo Maluf chegou a afirmar que Lula não poderia ser presidente porque Marisa não ia conseguir limpar todos os vidros do Palácio do Planalto. Ela respondeu na ocasião que chamaria a dona Sílvia (esposa de Maluf) para ajudá-la.

A Rede QUILOMBAÇÃO considera que estas atitudes expressam que os setores conservadores se pautam pela misoginia, machismo, racismo e preconceito de classe. São pessoas como estas que defendem o assassinato de jovens negros e pobres nas periferias, que defendem os massacres nos presídios, que querem que trabalhadoras e trabalhadores domésticos não tenham direitos. São os que acham que quem recebe Bolsa Família é vagabundo, que as mulheres não podem ter direitos iguais aos homens.

Nem em momentos de dor como é a perda de um ente querido há respeito porque tais pessoas não consideram os que veem das classes subalternizadas como seres humanos. Como dizia o grande Paulo Freire, a opressão não apenas desumaniza os oprimidos, mas também transforma os opressores em desumanos. Daí que a luta contra todas as formas de discriminação e opressão é o único caminho para a real humanização da sociedade.

Por isto, a Rede QUILOMBAÇÃO se solidariza a toda a família da sra. Marisa Letícia, em especial o ex-presidente Lula e repudia veemente os comportamentos nazistas dos que celebram a morte de uma mulher, trabalhadora e que marcou a história do Brasil.

Coordenação Política da Rede Antirracista QUILOMBAÇÃO

Avatar de Dennis de Oliveira

Dennis de Oliveira

Jornalista e professor da Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo (ECA/USP).

Em 2021, escolha a Fórum.

Fazer jornalismo comprometido com os direitos humanos e uma perspectiva de justiça social exige apoio dos leitores. Porque se depender do mercado e da publicidade oficial de governos liberais esses projetos serão eliminados. Eles têm lado e sabem muito bem quem devem apoiar.

Por isso, neste momento que você está renovando suas escolhas e está pensando em qual site apoiar, que tal escolher a Fórum?

Se fizer isso, além de garantir tranquilidade para o nosso trabalho, você terá descontos de no mínimo 50% nos cursos que já temos em nossa plataforma do Fórum Educação.

Renato Rovai
Editor da Revista Fórum

APOIAR