Rachadinha: Ivan Valente oficia PF para que investigue fala de Weintraub sobre Bolsonaro

Deputado do PSOL cobrou inquérito sobre declaração de ex-ministro da Educação que afirmou que o presidente recebeu informações prévias no caso de investigação sobre seu filho. Líder radical estaria furioso com antigo subordinado que o dedurou

Jair Bolsonaro e o ex-ministro Abraham Weintraub, no anúncio de sua demissão (YouTube/Reprodução)Créditos: Reprodução
Escrito en BRASIL el

O deputado federal Ivan Valente (PSOL) encaminhou ofício para o Ministério da Justiça e Segurança Pública cobrando que a Polícia Federal investigue a declaração do ex-ministro da Educação, Abraham Weintraub, dada durante uma entrevista na qual ele garantiu que o presidente Jair Bolsonaro sabia com antecedência de informações relacionadas ao inquérito do caso das rachadinhas envolvendo um de seus filhos, o senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ).

Weintraub contou ao dar entrevista ao podcast Inteligência Ltda que meses antes da posse de Bolsonaro, no período de transição, o então futuro presidente teria reunido os futuros ministros e principais assessores e dito que havia chegado a ele a informação de que estouraria uma investigação contra seu filho Flávio e que todos poderiam ficar tranquilos porque aquilo dizia respeito apenas ao seu rebento, que se alguém tivesse feito algo errado e tivesse que ser punido por isso, seria apenas o recém-eleito senador.

"A partir da declaração do Weintraub de que Bolsonaro SABIA com antecedência da operação das rachadinhas, enviamos ofício ao Ministério da Justiça cobrando instauração de inquérito para apurar vazamento na Polícia Federal. Protegeram Flavio para eleger o pai em 2018!", escreveu o parlamentar de esquerda em seu perfil oficial no Twitter.

“Diante da gravidade da situação, é imprescindível que o Ministro de Estado da Justiça e Segurança Pública, no uso de suas competências legais, imperiosamente, solicite ao Departamento de Polícia Federal a instauração de inquérito e de procedimento disciplinar para apurar a responsabilidade pelos vazamentos anunciados na entrevista mencionada”, diz um trecho do ofício encaminhado pelo gabinete de Valente ao MJSP.

A história de que Bolsonaro já sabia das operações envolvendo escândalos do filho mais velho antes mesmo delas acontecerem já circula há algum tempo e surgiu após o suplente de Flávio no Senado, Paulo Marinho, ter revelado que um delegado admirador e alinhado ao clã procurou o primogênito do presidente, então deputado estadual do Rio, para comunicá-lo sobre as investigações sigilosas.

Apesar de Flávio Bolsonaro não ser alvo direto da Operação Furna da Onça, relatórios do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) incluídos na investigação apontavam movimentações atípicas nas contas de Fabrício Queiroz, que era assessor em seu antigo gabinete na Alerj. Flávio foi deputado estadual no Rio de 2003 a 2018.

Bolsonaro furioso com Weintraub

Segundo o diário conservador carioca O Globo, Jair Bolsonaro está furioso com o ex-ministro Abraham Weintraub por sua revelação. Segundo o jornal, o presidente vê o extremista que esteve à frente do MEC, famoso por suas gafes ortográficas e intelecto precário, como alguém que se comporta como seus dissidentes detratores, como por exemplo Sergio Moro, o general Santos Cruz e outros ex-bolsonaristas que agora atacam o líder ultrarreacionário, ainda que Weintraub tenha negado problemas ou desavenças com o atual ocupante do Palácio do Planalto, a quem rendeu elogios.