Apesar da autorização da Justiça, hospital do ES nega aborto a menina de 10 anos

Procedimento foi rechaçado pelo HUCAM, que é vinculado à Universidade Federal do Espírito Santo. Menina e assistente social viajaram a outro estado para tentar fazer o aborto. Destino foi mantido em sigilo

A menina de 10 anos que ficou grávida após ser estuprada pelo tio, e que teve seu aborto autorizado pela Justiça do Espírito Santo na sexta-feira (14), não pode realizar o procedimento neste sábado (15), devido a que o HUCAM (Hospital Universitário Cassiano Antônio Moraes) se negou a fazê-lo.

Segundo informação da Secretaria da Saúde do Espírito Santo, o HUCAM justificou a decisão com o argumento de que a situação da menor infringia o protocolo da instituição para a realização do procedimento.

O problema, mais especificamente, seria o fato de que a gestação da menina estaria entre as semanas 20 e 22, e não entre as semanas 10 e 12, com havia sido informado antes. O HUCAM, que está vinculado à UFES (Universidade Federal do Espírito Santos), só permite abortos até a 15ª semana de gestação.

Devido a esta situação, a família decidiu permitir que a menina viaje a outro estado para realizar o aborto. O local para onde ela viajou foi mantido em segredo, para preservar sua privacidade. Ela está sendo acompanhada por um parente e uma assistente social da Secretaria de Saúde do Espírito Santos.

A autorização do aborto foi decidida pelo juiz Antônio Moreira Fernandes, após pedido do Ministério Público Estadual.

A legislação brasileira permite o aborto em casos de gravidez como resultado de estupro e de situações de risco para a mãe. Ambas as situações se configuram no caso desta menor de 10 anos, que engravidou após ser estuprada por seu tio, de 33 anos (e que a violentava há 4 anos, pelo menos). Ao fazer o pedido, o Ministério Público também anexou um parecer médico indicando que a menina não ter um útero completamente desenvolvido, o que faz com que sua gestação seja um risco para a sua saúde.

O tio, responsável pelos crimes contra a menina, poderia sofrer uma pena de até 15 anos de prisão, mas se encontra foragido. A Polícia Civil do Espírito Santo investiga pistas de que ele também teria saído do Estado.

Avatar de Victor Farinelli

Victor Farinelli

Jornalista formado pela Universidade Católica de Santos, há 15 anos é correspondente na Argentina (2004 e 2005) e no Chile (desde 2006).

Em 2021, escolha a Fórum.

Fazer jornalismo comprometido com os direitos humanos e uma perspectiva de justiça social exige apoio dos leitores. Porque se depender do mercado e da publicidade oficial de governos liberais esses projetos serão eliminados. Eles têm lado e sabem muito bem quem devem apoiar.

Por isso, neste momento que você está renovando suas escolhas e está pensando em qual site apoiar, que tal escolher a Fórum?

Se fizer isso, além de garantir tranquilidade para o nosso trabalho, você terá descontos de no mínimo 50% nos cursos que já temos em nossa plataforma do Fórum Educação.

Renato Rovai
Editor da Revista Fórum

APOIAR