Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
08 de dezembro de 2019, 14h56

Artista faz ativismo poético em Paraisópolis para marcar assassinato de jovens em baile funk

Artista esteve na comunidade este sábado para levar a intervenção "SUDÁRIO", que demarca espaços onde aconteceram violências urbanas

Ana Letícia Penedo (Foto: Cleston Teixeira)

A comunidade de Paraisópolis passou pela última semana recebendo diversas intervenções artísticas em seus becos e vielas. Frases como “o seu voto cheira a sangue” e “não acredite em contos de fardas” foram escritas por diferentes artistas como forma de marcar uma semana do assassinato de nove jovens pela Polícia Militar de João Doria em baile funk no último domingo (1).

Neste sábado (7), a artista Ana Letícia Penedo também deixou sua marca na comunidade. Ela estendeu um tecido branco em um dos muros da favela, que foram pintados também de branco pelos próprios moradores, com a foto de uma marca de pé deixada por um homem não identificado, morto no incêndio na favela do Cimento, zona leste de São Paulo, no dia 24 de março. A imagem partiu da foto de Lucas Martins, publicada na rede social.

Ação faz parte do ativismo poético “7ª ação do sudário – passos da paixão” e propõe “reflexões sobre o vazio” através de intervenções urbanas. “O SUDÁRIO é a cartografia da dor na cidade, demarcando os espaços onde aconteceram violências urbanas”, conta a artista

“Em reverência às vítimas da violência urbana, as ações pretendem desenhar na cidade uma cartografia da dor. A 7ª ação aconteceu no local onde morreram 9 adolescentes, mortos pela violenta ação da polícia militar, na saída de um baile Funk, na madrugada do dia 1 de dezembro de 2019, em Paraisópolis”, relata.

O trabalho na comunidade foi realizado no Viela do Loro, onde aconteceu o ataque mais violento, esquina da Rua Ernest Renan. “O que vimos hoje lá na comunidade foi um ambiente de respeito e dor”, conta.

Ana Letícia Penedo é carioca, mas radicada em São Paulo desde 1987. Iniciou sua trajetória na década de 1990, com formação em diferentes cursos de arte e participação em exposições e salões. 

Confira:

 

Matéria atualizada em 8 de dezembro, às 21h35.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum