Brasil atinge novo recorde nos Jogos Parapanamericanos de Lima

O desempenho dos atletas fez o país chegar à primeira colocação no quadro de medalhas pelo 4º Parapan seguido e bater a maior marca da história da competição

O Brasil encerrou sua participação nos Jogos Parapanamericanos de Lima neste domingo (1) com um novo recorde de medalhas. Foram 124 de ouro e 308 no total, garantindo a primeira colocação no quadro geral com duas vezes mais ouros que os Estados Unidos, que ficaram com a segunda posição.

A marca consolida o Brasil como uma referência nos esportes paralímpicos. Desde 2007, quando o evento foi realizado no Rio de Janeiro o país lidera o ranking de países. Em Lima, além de assumir a ponta mais uma vez, os atletas brasileiros fizeram o país alcançar a maior marca da história, superando a campanha do México em 1999.

Um dos destaques da competição foi o nadador Daniel Dias, que chegou à marca de 33 medalhas de ouro em 33 provas competidas, desde o Parapan de 2007. Em Lima, ele conseguiu 6 ouros. Outro destaque, também na natação, foi Phelipe Dias, que voltou pra casa com sete ouros e um bronze, tornando-se o atleta brasileiro com mais ouros de Lima.

“Lima é o primeiro estágio dos grandes eventos do ciclo, serve como um excelente termômetro para avaliar nosso planejamento, que foi estabelecido em 2017 projetando os oito anos subsequentes. Tínhamos uma expectativa aproximada do que realmente alcançamos aqui, mas atingimos a meta, superamos a excelente campanha de Toronto 2015”, disse Alberto Martins da Costa, chefe da missão brasileira nos Parapan de Lima.

Nos últimos Jogos Paraolímpicos, realizado em 2016 no Rio de Janeiro, o Brasil foi o 8º colocado, atingindo sua segunda melhor marca. Apesar de ter mais medalhas do que a edição de Londres, em 2012, o país teve menos ouros. No Rio, foram 14 ouros e 72 medalhas no total, contra os 21 ouros de Londres e os 43 pódios no total

Avatar de Redação

Redação

Direto da Redação da Revista Fórum.

Em 2021, escolha a Fórum.

Todos os dias Fórum publica de 80 a 100 matérias desde às 6h da manhã até à meia-noite. São 18h de textos inéditos feitos pela equipe de 10 jornalistas da redação e também por mais de três dezenas de colaboradores eventuais.

E ainda temos 3 programas diários no YouTube. O Fórum Café, com Cris Coghi e Plínio Teodoro, o Fórum Onze e Meia, com Dri Delorenzo e este editor, e o Jornal da Fórum, com Cynara Menezes. Além de vários outros programas semanais, como o Fórum Sindical, apresentado pela Maria Frô.

Tudo envolve custos. E é uma luta constante manter este projeto com a seriedade e a qualidade que nos propomos.

Por isso, neste momento que você está renovando suas escolhas e está pensando em qual site apoiar neste ano, que tal escolher a Fórum?

Se fizer isso, além de garantir tranquilidade para o nosso trabalho, você terá descontos de no mínimo 50% nos cursos que já temos em nossa plataforma do Fórum Educação.

É fácil. Clique em apoiar e escolha a melhor forma de escolher a Fórum em 2021.

Renato Rovai
Editor da Revista Fórum

APOIAR