Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
13 de janeiro de 2020, 11h46

Folha tenta criminalizar movimentos sem-teto com vinculação ao PCC, denuncia Raimundo Bonfim

Em reportagem, o jornal sustenta que sem-teto atuaram junto aos grupos criminosos para explorar moradores em ocupações

O líder de movimentos populares, Raimundo Bonfim (Reprodução/CMP)

Em reportagem publicada neste domingo (12), o jornal Folha de S. Paulo compara a atuação de grupos criminosos em comunidades na periferia de São Paulo com o trabalho de lideranças de movimentos sem-tet0. De acordo com o veículo, ambos os grupos atuaram juntos em ocupações, extorquindo moradores. No entanto, para Raimundo Bonfim, advogado e coordenador nacional da Central de Movimentos Populares (CMP), a reportagem é clara tentativa de criminalizar os movimentos sem-teto.

“É um desserviço”, afirmou Bonfim. “Queremos repudiar essa tentativa de criminalizar os movimentos sem-teto a partir da comparação com grupos organizados”.

“É lamentável, o que inclusive levou a perseguição e instauração de inquérito contra várias lideranças do movimento no centro de São Paulo, contra a Carmen, contra sua filha Preta Ferreira. Mais uma vez, sem provas, tentam associar a atuação de um dos mais importantes movimentos de sem-teto com grupos criminosos”, continuou.

Na reportagem, a Folha alega que “Manolo”, líder do PCC, estava envolvido em investigações da Polícia Civil na ocupação do Cine Marrocos, em agosto de 2016.

“Segundo a polícia, líderes de sem-teto que ocupavam o prédio, na região central, faziam cobrança de mensalidades das famílias, ao mesmo tempo que ajudavam integrantes do PCC no comércio de drogas na cracolândia e na região da Galeria do Rock”, diz o texto.

“Situação semelhante foi encontrada em nova investigação iniciada pela polícia em 2018, após o desabamento do prédio Wilton Paes de Almeida, no largo do Paissandu, que deixou nove mortes”, diz outro trecho.

 


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum