Fórumcast, o podcast da Fórum
01 de agosto de 2019, 09h34

Jovem é espancado por ser trans em Praia Grande: “Vai apanhar igual menino”

"Um dos caras no carro perguntou se ele era um menino. Ela disse que sim, que era um menino. Aí ele disse que ele iria apanhar igual menino'", contou a tia

Garoto trans espancado na Praia Grande (SP) (Reprodução/G1)

Um garoto transexual de 19 anos foi espancado por dois homens em Praia Grande, no litoral de São Paulo, pelo fato de ser trans. “Senti que era homofobia pelo fato que ele disse, que se eu quisesse ser igual um menino eu ia apanhar igual um menino”, disse Yanca Rodrigues, à página Praia Grande Mil Grau, no Facebook.

Inscreva-se no nosso Canal do YouTube, ative o sininho e passe a assistir ao nosso conteúdo exclusivo

Segundo informações do Portal G1, o jovem estava sozinho quando foi abordado pela dupla, que estava em um carro azul. O garoto foi colocada dentro do veículo e, em seguida, eles disseram que ela iria apanhar ‘igual menino’, já que se identificava com o gênero.

Segundo uma tia do garoto, a dupla abordou o garoto em uma avenida perguntando as horas e começou a segui-lo. Em seguida, eles disseram para ele entrar no carro.

Ao recusar entrar no carro, um dos homens desceu e deu um chute na perna e socos na costela. Ele caiu e foi jogado para dentro do carro.

“Um dos caras no carro perguntou se ele era um menino. Ela disse que sim, que era um menino. Aí ele disse que ele iria apanhar igual menino'”, conta a tia. Após uma série de agressões, o jovem foi deixado em uma travessa da cidade.

O jovem teve ferimentos no rosto, na costela e nas pernas. Ele passou por atendimento no Hospital Irmã Dulce e está em recuperação.

“Graças a Deus não abusaram dele. A sensação foi mais para bater porque ele falou que gostava de ser menino. Por puro ódio, pura revolta. E você se sente mais revoltado ainda por não ter resposta”, disse a tia.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum