sábado, 19 set 2020
Publicidade

Merendeiras do RJ são demitidas por pedirem aumento; elas ganhavam menos de um salário mínimo

Nesta quinta-feira (28) um grupo de merendeiras de escolas estaduais do Rio de Janeiro, após um dia inteiro esperando uma audiência com o secretário de Educação, ouviu que ele não podia fazer nada por elas. As trabalhadoras foram demitidas após reivindicarem melhores salários. “Ele mandou que fôssemos atrás dos nossos direitos”, disse uma das merendeiras, que não se identificou.

Na última semana, o grupo fez uma paralisação, pedindo melhoria salarial, porque, segundo elas, recebiam R$ 802,00 mensais, abaixo do salário mínimo.

No mesmo dia, elas foram até a secretaria e durante conversa com Fernandes, que se comprometeu a ajudá-las e que não haveria retaliação. Entretanto, ao deixarem o local, souberam que tinham sido demitidas.

As empresas responsáveis pela terceirização das merendeiras nas escolas estaduais do Rio, desde 2018, diminuíram o quadro de funcionários, o que se traduz em precarização das condições de trabalho.

Nossa sucursal em Brasília já está em ação. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Saiba mais.

Redação
Redação
Direto da Redação da Revista Fórum.