Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
02 de setembro de 2019, 18h48

MPF denuncia coronel que postou vídeos pró-golpe militar no Youtube

O coronel da reserva Antônio Carlos Alves Coreia, que chegou a ter que usar tornozeleira eletrônica, postava vídeos com ameaças a ministro do STF durante o período eleitoral do ano passado, incitando uma intervenção militar caso Bolsonaro não fosse eleito

Reprodução/YouTube

O Ministério Público Federal (MPF), nesta segunda-feira (2), o coronel reformado Antônio Carlos Alves Correia pela prática do crime de incitação à animosidade entre as Forças Armadas e, dentre outros, o STF, previsto na Lei de Segurança Nacional (Lei 7.170/83). A pena prevista é de 1 a 4 anos de prisão.

Correia, durante o período eleitoral do ano passado, postou oito vídeos em seu canal do YouTube que continham ameaças aos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e do então ministro da Segurança Pública, Raul Jugmann, além de incitações a uma intervenção militar caso o então candidato Jair Bolsonaro não fosse eleito presidente.

Em 26 de outubro, o coronel chegou a ser alvo de mandado de busca e apreensão e, na época, foi obrigado a usar tornozeleira eletrônica, além de manter distância de 5 km dos ministros do STF.

“Hoje eu não tô sozinho, não. (…) Se Bolsonaro não ganhar, pode contar, a intervenção virá. O povo brasileiro vai pra Brasília exigir do comandante de plantão lá no alto comando do exército”, disse ele em um dos vídeos.

“Não bastasse a tensão natural a qualquer processo eleitoral, o país, desde 2014, vinha experimentando uma preocupante onda de radicalização política e ideológica a provocar manifestações extremadas, em especial em ambientes de redes sociais”.  Disse ainda que, “embora seja legítimo ao cidadão comum restar inconformado com o comportamento de servidores públicos em geral, do presidente da República ao mais simples funcionário passando pelos Ministros das Cortes Superiores, o comportamento do denunciado foi muito além dos limites razoáveis para a crítica”, escreveu o autor da denúncia, procurador da República José Maria Panoeiro.

Confira a íntegra da denúncia aqui.

 


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum