quinta-feira, 24 set 2020
Publicidade

O que é meningite meningocócica, a doença que matou o neto de Lula

Arthur Lula da Silva, o neto de 7 anos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, morreu nesta sexta-feira (1°) de meningite bacteriana em São Paulo. Ele foi deu entrada pouco após as 7h no Hospital Bartira, no região do ABC Paulista, e morreu no início da tarde. A meningite bacteriana, que matou o neto do presidente, é a variedade mais grave da doença. Entenda o que aconteceu com Arthur e a diferença entre meningite bacteriana e viral.

Blog do Rovai: Jornalista de O Globo soube da morte de neto do Lula antes de familiares

Meninges são membranas que envolvem o encéfalo e a medula espinhal. Quando um vírus ou bactéria vence as defesas do organismo e aninha-se nas meninges, elas se inflamam, podendo produzir pus e a infecção se espalha pelo sistema nervoso central.  A essa inflamação, dá-se o nome de meningite, que pode ser viral ou bacteriana (meningocócica), a mais grave, que matou o neto de Lula.

O quadro da meningite viral é mais leve. A nuca fica um pouco rígida e o paciente sente dor ao tentar dobrá-la. Quando é detectada, o protocolo médico é esperar que o caso se resolva sozinho. Esta é a principal diferença do quadro para o de uma meningite bacteriana. A maioria das meningites virais é benigna e evolui sem tratamento.

A meningite bacteriana é causada por uma bactéria transmitida pelas vias respiratórias, chamada meningococo. Esta passa do nariz para o sangue e é levada para o cérebro, onde estão as meninges.

Os sintomas são febre alta, vômitos, dor de cabeça e no pescoço, dificuldade para encostar o queixo no peito e, eventualmente, manchas vermelhas pelo corpo, o que é um sinal de que a infecção está se alastrando. A meningite meningocócica, que precisa ser tratada com antibióticos, pode evoluir para um quadro fatal em algumas umas horas.

Nossa sucursal em Brasília já está em ação. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Saiba mais.

 

 

 

Redação
Redação
Direto da Redação da Revista Fórum.