Ouça o Fórumcast, o podcast da Fórum
23 de setembro de 2018, 10h31

PF: Agressor de Bolsonaro agiu sozinho e não recebeu nada para cometer o crime

Investigação da Polícia Federal concluiu que depósitos suspeitos na conta de Adélio Bispo, o homem que esfaqueou Jair Bolsonaro (PSL), vinham de uma rescisão trabalhista

Adelio Bispo dos Santos (Foto: Reprodução )

Com a investigação ainda em andamento, a Polícia Federal concluiu, em relatório divulgado na sexta-feira (21), que Adélio Bispo Oliveira, o homem que esfaqueou Bolsonaro no dia 7 em Juiz de Fora, agiu sozinho e não recebeu dinheiro para cometer o crime.

Os investigadores suspeitavam de um depósito na conta de Adélio dias antes do crime, mas a apuração apontou que o dinheiro vinha de uma rescisão trabalhista de um emprego que teve em Santa Catarina como garçom.

Cartão de crédito e celulares de Adélio também levantaram suspeitas mas, de acordo com a PF, não tiveram qualquer relação e nem foram usados para o crime. A renda que o agressor dispunha para se hospedar em Juiz de Fora também foi considerada compatível coma versão do agressor, que disse que estava temporariamente na cidade procurando emprego.

A conclusão parcial, portanto, é que Adélio não teve a ajuda e nem o incentivo de ninguém para esfaquear Bolsonaro. Ele alega que agiu sozinho por razões políticas e religiosas.

A investigação deve durar ainda até 5 de outubro. O agressor, por sua vez, permanece preso e poderá pegar, após julgado, até vinte anos de prisão.

Bolsonaro segue internado 

O candidato à presidência do PSL segue internado em São Paulo. Neste sábado (22), ele recebeu alta da unidade de terapia semi-intensiva e foi para o quarto.

Ainda não há previsão de quando Bolsonaro poderá ir para casa ou retomar sua agenda de campanha. Saiba mais aqui.

 


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum