quinta-feira, 24 set 2020
Publicidade

The Intercept: “O que o Governo aprontou enquanto Bolsonaro mentia para proteger os filhos”

O editor executivo do The Intercept Brasil, Leandro Demori, publicou neste sábado (20) um texto denunciando que Bolsonaro  já mentiu em público mais de 200 vezes desde janeiro e agora se utiliza de estratégias para desviar a atenção das polêmicas envolvendo os filhos: o caso Queiroz e a indicação a embaixador dos EUA. O jornalista aponta como “cortinas de fumaça” situações como a de Bolsonaro inventar histórias sobre Miriam Leitão.

Uma das questões que acredita que merece atenção é a portaria assinada pelo ministro da Educação, Abraham Weintraub, que diz que o direito de nomeação de prós-reitores passa das mãos dos reitores da universidades federais para a Casa Civil e terão de ter a aprovação da Secretaria de Governo. Ou seja: mais concentração de poder em Brasília. Outro ponto a chamar atenção foi a criação de um grupo de apenas três pessoas, para criar a “simplificação do regime de outorga” da lavra garimpeira, em um prazo de 30 dias, facilitando, assim, a autorização para garimpar.

A partir de agora, também, a Juntas Comerciais não são mais obrigadas a comunicar ao Conselho de Controle de Atividades Financeiras (COAF) quando detectam sérios indícios de crimes registrados em documentos produzidos em suas dependências, ou seja, as regras de combate à corrupção se tornaram mais flexíveis. “O governo decidiu também levar o Conselho Superior do Cinema para a Casa Civil. O órgão estava no Ministério da Cultura. Isso concentra, mais uma vez, poder no núcleo de Brasília. Além de jogar o órgão no colo de Onyx Lorenzoni, o decreto ainda reduziu de nove para cinco o número de representantes da indústria do audiovisual e da sociedade civil no grupo. O governo também tinha nove cadeiras. Agora, tem sete. O governo virou maioria”, complementa Demori.

“Bolsonaro é um trator em movimento. Cabe prestar menos atenção no ronco do motor e mais nas implacáveis esteiras”, conclui o jornalista.

Vaza Jato

No início da semana, Leandro Demori rebateu um comentário de Merval Pereira, colunista do jornal O Globo e da GloboNews. Merval afirmou que os diálogos revelados na série de reportagens da “Vaza Jato”, publicadas pelo Intercept, pela Folha e pela Veja, não revelaram conluios. Demori retrucou no twitter: “Questão de intepretação. Na minha interpretação, por exemplo, Merval não é jornalista e esse texto poderia ser uma nota oficial publicada no site do MPF de Curitiba”.

Leia o texto completo no The Intercept Brasil.

Redação
Redação
Direto da Redação da Revista Fórum.