terça-feira, 27 out 2020
Publicidade

Vacina russa Sputnik V, contra a COVID-19, é segura, diz revista científica

Os primeiros resultados do ensaio clínico envolvendo 40.000 voluntários serão publicados em outubro-novembro

A revista The Lancet, líder internacional no setor científico, publicou os resultados das duas primeiras fases dos ensaios clínicos para a vacina russa Sputnik V, contra a Covid-19. O artigo responde às críticas estrangeiras e fornece clareza há muito esperada: o desenvolvimento dos cientistas russos, que acabou por ser a primeira vacina contra o coronavírus registrada no mundo avaliada como segura.

O The Lancet publicou os resultados das duas primeiras etapas dos ensaios clínicos e, de acordo com os desenvolvedores da vacina do Centro Gamaleya, este será o primeiro passo para uma série de publicações sobre a vacina Sputnik V em revistas científicas:

“Em setembro, será publicado um estudo completo da vacina em animais, primatas, hamsters sírios, camundongos transgênicos, nos quais a vacina mostrou 100% de eficácia protetora. Os primeiros resultados do ensaio clínico pós-registro em andamento envolvendo 40.000 voluntários serão publicados em outubro-novembro ”.

‘Vacina com segurança comprovada’

A segurança da vacina Sputnik V é uma das principais conclusões citadas no artigo. De acordo com os resultados dos ensaios clínicos de primeiro e segundo estágios, os cientistas não encontraram nenhum efeito adverso sério da vacina em nenhum dos critérios avaliados. Nem todas as vacinas candidatas podem se orgulhar de tais resultados, algumas observaram até 25% de efeitos adversos graves.

Imunidade de longo prazo

O The Lancet também cita evidências científicas da eficácia da vacina Sputnik V. Por exemplo, a capacidade do tratamento de lançar uma resposta imunológica de longo prazo ao coronavírus em 100% dos vacinados devido à sua tecnologia de introdução única em dois estágios. Segundo Denis Logunov, vice-diretor de pesquisa do Centro Gamaleya, uma resposta imune humoral e celular, suficiente para proteger uma pessoa do COVID-19, foi observada em 100% dos vacinados.

“Os níveis de anticorpos em voluntários vacinados foram 1,4-1,5 vezes maiores do que naqueles que se recuperaram. Para referência, a vacina britânica AstraZeneca mostrou um nível de anticorpos aproximadamente igual ao nível de anticorpos naqueles que tiveram a infecção por coronavírus ”.

A publicação Lancet é a ‘resposta final’

Kirill Dmitriev, CEO do Fundo Russo de Investimento Direto, explicou que a publicação dos resultados dos ensaios clínicos pelo The Lancet é “a resposta final na rodada de perguntas dirigidas contra a Rússia” após o registro do Sputnik V em agosto.

Com informações do The Lancet

Redação
Redação
Direto da Redação da Revista Fórum.