Ativista argentino que liderou protestos anti quarentena morre por coronavírus

Angel Spotorno era macrista fanático e promoveu campanhas dizendo que as medidas de isolamento são “uma tentativa do governo de Alberto Fernández de reinstalar o comunismo e atentar contra a liberdade das pessoas”

O fato em si não é tão novo já que aconteceu no dia 16 de junho: o advogado aposentado Ángel Spotorno faleceu aos 74 anos, em Buenos Aires. A notícia por trás do fato, porém só se descobriu neste domingo: a causa da morte foi falência pulmonar causada pela infecção covid-19.

E isso é notícia porque Spotorno foi um dos principais líderes dos protestos anti quarentena na Argentina, realizados durante o mês de maio.

Apesar de pertencer ao grupo de risco, devido à idade, o aposentado era visto frequentemente nas pequenas marchas que realizava nos fins de semana perto da Casa Rosada (sede do governo argentino) para protestar contra as medidas de isolamento, e também em outros eventos que organizava através das redes sociais.

“Dos 90 dias que passamos entre o início da quarentena e a sua morte, creio que ele passou ao menos 85 fora de casa”, afirma sua prima, Marita Riera

Spotorno era macrista fanático e, em suas publicações nas redes sociais, acusava o governo de Alberto Fernández de “querer usar as medidas de isolamento reinstalar o comunismo na Argentina e atentar contra a liberdade das pessoas”.

No entanto, sua prima conta, em entrevista para o meio local Infobae, que “um dia eu disse a ele que não entendia fazia isso sabendo que a maioria das pessoas apoiava as quarentenas. Me dava tanta raiva aquela postura que eu dia eu disse de brincadeira que antes de ficar doente, ele tinha que deixar uma nota dizendo que abria mão de um leito de UTI porque não acreditava no vírus”.

A morte de Ángel Spotorno aconteceu subitamente. Ele foi encontrado morto em seu apartamento por uma equipe médica, graças a que sua filha chamou a emergência, depois de passar vários minutos tocando o interfone sem receber respostas.

Após os legistas confirmarem que sua morte foi causada pelo coronavírus, alguns familiares acreditam que o aposentado escondeu os sintomas para não ter que admitir que estava com a doença.

Avatar de Victor Farinelli

Victor Farinelli

Jornalista formado pela Universidade Católica de Santos, há 15 anos é correspondente na Argentina (2004 e 2005) e no Chile (desde 2006).

Em 2021, escolha a Fórum.

Todos os dias Fórum publica de 80 a 100 matérias desde às 6h da manhã até à meia-noite. São 18h de textos inéditos feitos pela equipe de 10 jornalistas da redação e também por mais de três dezenas de colaboradores eventuais.

E ainda temos 3 programas diários no YouTube. O Fórum Café, com Cris Coghi e Plínio Teodoro, o Fórum Onze e Meia, com Dri Delorenzo e este editor, e o Jornal da Fórum, com Cynara Menezes. Além de vários outros programas semanais, como o Fórum Sindical, apresentado pela Maria Frô.

Tudo envolve custos. E é uma luta constante manter este projeto com a seriedade e a qualidade que nos propomos.

Por isso, neste momento que você está renovando suas escolhas e está pensando em qual site apoiar neste ano, que tal escolher a Fórum?

Se fizer isso, além de garantir tranquilidade para o nosso trabalho, você terá descontos de no mínimo 50% nos cursos que já temos em nossa plataforma do Fórum Educação.

É fácil. Clique em apoiar e escolha a melhor forma de escolher a Fórum em 2021.

Renato Rovai
Editor da Revista Fórum

APOIAR