Milton Neves diz que não conseguiu tomar segunda dose da CoronaVac: “não tem, e não vai ter”

A prefeitura afirma que optou por aplicar apenas a vacina de Oxford nesta quarta-feira (21) porque recebeu recentemente um lote de imunizantes do Ministério da Saúde

O apresentador Milton Neves, de 69 anos, afirmou durante conversa com o colega José Luiz Datena, ao vivo na Rádio Bandeirantes, que não conseguiu tomar a segunda dose da vacina contra o coronavírus.

Segundo o jornalista, o posto de saúde em questão não teria doses da CoronaVac, apenas da AstraZeneca. Vale ressaltar que quem toma a primeira dose de uma marca, necessariamente precisa que a segunda seja da mesma.

“Hoje, pela internet vi estava aberto o posto e vim tomar a segunda dose. Vou informar para os nossos amigos que não tem, e não vai ter, segundo informações dos policiais do exército”, disse.

“Temos uns 10, 12 jovens coordenando a fila e a informação é a seguinte: Quem fez a primeira dose CoronaVac, lá não tem mais, não adianta ir mais, lá só AstraZeneca. Vai entender, está meio bagunçado”, disse ainda.

O apresentador disse ainda: “estou saindo do lado do Hebraica, onde a cerca de 15 dias tomei a primeira dose. As moças atenciosas e maravilhosas me informaram que no dia 17 tinha que voltar, eu voltei e estava fechado. Na porta tinha uma placa redirecionando e pedindo para voltar outro dia”, recordou.

CoronaVac só amanhã

A prefeitura afirma que optou por aplicar apenas a vacina de Oxford nesta quarta-feira (21) porque recebeu recentemente um lote de imunizantes do Ministério da Saúde.

Ainda segundo a prefeitura, a vacina do Butantan voltará a ser aplicada amanhã. Nesta quinta-feira (22), a campanha de vacinação contra a covid-19 na capital paulista segue com o funcionamento dos postos drive-thru aplicando exclusivamente a primeira dose.

Com informações do UOL

Avatar de Julinho Bittencourt

Julinho Bittencourt

Jornalista, editor de Cultura da Fórum, cantor, compositor e violeiro com vários discos gravados, torcedor do Peixe, autor de peças e trilhas de teatro, ateu e devoto de São Gonçalo - o santo violeiro.