Fórum Educação
16 de março de 2020, 22h01

Rússia insiste para EUA retirar sanções econômicas contra o Irã e evitar mais mortes por coronavírus

Governo norte-americano se nega a derrubar medidas que impedem a nação asiática, uma das mais atingidas pela pandemia, a adquirir medicamentos e insumos necessários para enfrentar a situação

A porta-voz do Ministério de Relações Exteriores da Rússia, María Zajárova (Foto: Sputnik / Vladimir Astapkovich)

O Ministério das Relações Exteriores da Rússia lançou um comunicado nesta instou na segunda-feira (16), no qual voltou a pedir aos Estados Unidos que suspenda imediatamente as sanções econômicas, comerciais e financeiras ilegais contra o Irã, para permitir que o país do Oriente Médio possa enfrentar a pandemia do coronavírus.

“Apelamos decididamente aos Estados Unidos para que seja capaz de entender a realidade cara a cara, e tomar uma decisão madura sobre o levantamento imediato de sanções, que afetam os direitos humanos fundamentais das pessoas no Irã”, diz o comunicado.

O texto acrescenta que “durante uma pandemia global, não é momento de se prender a diferenças geopolíticas, especialmente aquelas que não têm fundamento e foram inventadas por Washington para satisfazer suas próprias ambições”.

O Irã é o terceiro país do mundo mais afetado pelo coronavírus até agora, com 15 mil casos registrados, e 853 mortes. A taxa de letalidade do vírus no país e de 5.6%.

A chancelaria russa também assegurou que há disposição por parte do governo do Irã de retomar o acordo nuclear iniciado em 2015, e que foi desativado por decisão de Donald Trump.

“Da nossa parte, confirmamos o foco em preservar o acordo nuclear e a prontidão para continuar os esforços para recuperar certo equilíbrio perdido de interesses e estabilidade”, observa a nota, acrescentando que “o trabalho da Rússia nessa direção é realizado paralelamente a grandes projetos e contribuição para a economia iraniana”.

Recentemente, o presidente iraniano Hassan Rohani enviou uma carta a líderes de vários países, afirmando que a Casa Branca continua a frustrar os esforços de seu país para combater a pandemia, “com sanções infames causando, em menos de dois anos, cerca de 200 bilhões de dólares em prejuízo direto à nossa economia, e agora restringido a nossa capacidade de ter acesso a produtos que podem salvar as vidas dos nossos cidadãos”.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum