domingo, 27 set 2020
Publicidade

Vietnã evacua 80 mil turistas de cidade que registrou surto de um novo tipo de coronavírus

O Vietnã ordenou nesta segunda-feira (27) a evacuação de 80 mil pessoas da cidade de Da Nang, no litoral central e um dos principais centros turísticos do país, devido a um novo surto de infecções causado por coronavírus.

No último final de semana, um hospital de Da Nang informou a existência de 11 casos de coronavírus. De acordo com os resultados dos primeiros estudos realizados por médicos vietnamitas, se trataria de um novo tipo de coronavírus, diferente e mais agressivo que o SARS-CoV-2, pois se multiplica muito mais rapidamente nos pulmões e produz uma versão mais grave de covid-19 (infecção causada pelo vírus) em poucas horas – desses 11, dois estão em estado crítico, e com ventiladores mecânicos.

Estes são os primeiros registrados no país desde abril, quando a covid-19 foi considerada erradicada, após a cura do último paciente que mostrou sintomas da doença.

Com a medida, o país realizará, nos próximos quatro dias, uma operação que durará ao menos quatro dias, durante os quais haverá 100 voos diários, de diferentes companhias, para mais de dez cidades, até que se evacuem todos os turistas, com prioridade para os turistas vietnamitas.

Até o dia 24 de julho, o país asiático registrava apenas 416 casos de covid-19 e nenhuma vítima fatal, segundo números do observatório da Universidade Johns Hopkins, e era considerado um dos melhores exemplos mundiais no combate à pandemia.

Além da evacuação dos turistas, as autoridades vietnamitas decidiram isolar a cidade de Da Nang, que iniciará um lockdown a partir desta quinta-feira (30). As demais cidades da região central deverão adotar o uso obrigatório de máscaras faciais em locais públicos e o cancelamento de todos os eventos culturais, esportivos e religiosos – medida que as autoridades também estudam impor em todo o resto do país.

Victor Farinelli
Victor Farinelli
Jornalista formado pela Universidade Católica de Santos, há 15 anos é correspondente na Argentina (2004 e 2005) e no Chile (desde 2006).