“Like In The Movies”, de Rich Freeth, traz a boa canção americana com leve sotaque brasileiro

EP, gravado em Nova Iorque e masterizado no Abbey Road, em Londres, traz três canções de Rich e uma releitura de Bob Dylan

O cantor, compositor e músico novaiorquino, Rich Freeth, que adotou o Brasil como morada, particularmente a cidade de Santos, no litoral de São Paulo, acaba de lançar o EP “Like In The Movies”, que também pode ser encontrado nas plataformas digitais. Nele, o ouvinte tem a grata surpresa de ouvir três canções de Rich e uma bela recriação do clássico “Positively 4th Street”, de Bob Dylan.

Rich é um excelente músico e compositor e um surpreendente cantor. Sua voz de tenor é poderosa. Com um timbre brilhante, alcança agudos e graves com destreza, canta extremamente afinado e faz belos efeitos rascantes, típicos dos grandes cantores de rock e folk music, ritmos dos quais tem como grande referência.

O EP abre com a bonita canção título “Like In The Movies” que, segundo o autor, fala sobre desejar que a vida seja como em um filme. A bela melodia traz uma letra que nos remete aos road songs e dialoga todo o tempo, assim como toda a música de Rich, com a canção pop contemporânea dos EUA.

Logo após ouvimos a lírica “Waiting For Dawn”, que fala sobre o momento em que o sol nasce, mas ainda se pode ver as estrelas.

A terceira composição de Rich é “Light That Burns”, inspirada pela frase “Verbum Vitae et Lumen Scientia” ou “conhecimento é a luz que queima,” que o compositor viu escrito em uma biblioteca da Universidade.

Ao final, como uma surpresa para o ouvinte, ele reinterpreta de maneira surpreendente e encantadora a potente canção de desamor “Positively 4th Street”, de Bob Dylan.

Rich já tem estrada. Estudou guitarra com Robert Fripp da lendária banda King Crimson e, além de seus discos solo, já colaborou com vários artistas internacionais e brasileiros, entre eles Freedy Johnston, Peter Wolf, Rick Derringer, Soul Asylum, Patty Smith, Ratos de Porão, João Suplicy, Murilo Lima, Dudu Golzi, Oliver Kivitz e Thiago Castanho, guitarrista do Charlie Brown Jr.

Seu som tem algo aqui e acolá com a música brasileira, sobretudo o pop moderno. Foi um dos vários jovens americanos fisgados pelas coletâneas de música brasileira lançadas pelo líder dos Talking Heads, por David Byrne, com participação de Gilberto Gil, Caetano Veloso, Gal Costa, Marisa Monte, Lenine e vários outros.

Publicidade

“Like In The Movies” foi gravado em Nova Iorque e masterizado em Londres, no Estudio Abbey Road, por Andy Walter. Outra das boas surpresas do lançamento são os vários excelentes músicos que atuam nele: Ben Peeler no lap steel (The Wallflowers, Shakira), Matt Johnson na bateria (Chris Cornell, Jeff Buckley), Brad Albetta no baixo (Sean Lennon, Rufus Wainwright, Glen Hansard). Brad também gravou e mixou o EP no seu estúdio “Monkey Boy” em Nova Iorque.

Vale e muito ouvir, descobrir e redescobrir a música de Rich Freeth, um americano que faz música americana, mas com um leve sotaque brasileiro.

Publicidade

Avatar de Julinho Bittencourt

Julinho Bittencourt

Jornalista, editor de Cultura da Fórum, cantor, compositor e violeiro com vários discos gravados, torcedor do Peixe, autor de peças e trilhas de teatro, ateu e devoto de São Gonçalo - o santo violeiro.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR