Prefeitura de SP revolta artistas ao contratar Maiara e Maraisa por R$ 320 mil para réveillon on-line

Trabalhadores do setor relataram ainda dificuldades para receber o auxílio emergencial previsto pela Lei Aldir Blanc

A Prefeitura de São Paulo revoltou artistas e técnicos da Cultura após contratar a dupla sertaneja Maiara e Maraisa por R$ 320 mil para um réveillon on-line.

Trabalhadores do setor relataram ainda dificuldades para receber o auxílio emergencial previsto pela Lei Aldir Blanc —R$ 900 em três parcelas – e reclamam que editais especiais na quarentena foram confusos, burocráticos e contemplaram poucos.

O produtor de eventos e técnico de som Jeff Lacerda não recebeu nenhum auxílio e está indignado com os valores gastos pela prefeitura no réveillon on-line.

“A questão não é o mérito das duas artistas. Fico indignado com a Secretaria Municipal de Cultura que está segurando as verbas da Lei Aldir Blanc para projetos contemplados, feitos por pessoas que estão precisando demais. Muitos não conseguiram fazer as inscrições, exigiram papelada para ontem. É uma afronta ver esse valor dado a artistas estabelecidas no mercado, quando temos colegas que perderam renda, casa, e não conseguiram o auxílio. Estamos dando cestas básicas para essas pessoas”, declarou Lacerda.

A Secretaria Municipal de Turismo, responsável pela contratação, respondeu através de nota. que “os recursos para a realização das atrações de fim de ano estão previstos no planejamento orçamentário da Secretaria Municipal de Turismo. Portanto, não impactará em nenhuma outra área da administração”. Veja abaixo:

A Secretaria Municipal de Turismo informa que a curadoria dos artistas que integram a programação do Réveillon Paulistano foi feita a partir de critérios como: selecionar artistas que não pertencem ao grupo de risco para a Covid-19, contemplar diversas vertentes como rap, funk, sertanejo e samba, para que a celebração seja democrática e representativa, além do deslocamento ser o mais seguro possível como o artista ter meios próprios ou ainda já estar na cidade para outros compromissos.

A dupla Maiara e Maraisa, que será responsável pelo encerramento do evento on-line, atende aos critérios estabelecidos.

Com relação ao investimento, ainda não é possível informar o valor total uma vez que ainda estão sendo realizadas licitações para a estrutura. Mesmo com as particularidades de 2020 – custos referentes equipamentos de proteção por causa da pandemia – já é possível afirmar que as despesas serão inferiores às do ano passado. Não haverá show pirotécnico, por exemplo.

Além de promover a cidade, a missão da Secretaria Municipal de Turismo é estimular o mercado artístico-cultural; as duas iniciativas garantem cultura, lazer e entretenimento para toda a população de forma gratuita e acessível.

Informamos também que os recursos para a realização das atrações de fim de ano estão previstos no planejamento orçamentário da Secretaria Municipal de Turismo. Portanto, não impactará em nenhuma outra área da administração.

Já com relação ao pagamento dos benefícios da Lei Aldir Blanc, a secretara de Cutura afirmou que a maioria dos cidadãos que pleiteou o auxílio previsto pela Lei Aldir Blanc já recebeu o benefício. Os pagamentos ainda não realizados serão feitos até sexta-feira (18/12).

Veja a nota abaixo:

A Secretaria Municipal da Cultura informa que, em relação à Lei Aldir Blanc, o processo realizado pela SMC contemplou um total de 3.965 inscritos nos incisos II (que se refere aos territórios e espaços culturais cujas atividades foram interrompidas pela pandemia) e III (editais de premiação) e ainda deu um aporte à lei de R$ 20 milhões de recursos próprios. A maioria dos habilitados já recebeu e os pagamentos que faltam serão realizados até dia 18 de dezembro.

A Secretaria Municipal de Cultura realizou 17 editais durante o período de quarentena, beneficiando diretamente 506 trabalhadores de cultura e cerca de 1927 indiretamente, entre artistas, técnicos e produtores, totalizando R$ 49.356.400,00. São eles VAI 1, VAI 2, Apoio aos Blocos Comunitários de Carnaval de Rua, Apoio às Culturas Negras, Apoio à Linguagem Música, Apoio às Rádios Comunitárias, Fomento ao Forró, Fomento ao Circo, Edição de Premiação de Espaços Culturais Independentes que realizam Atividade Cultural na Cidade de São Paulo, Fomento à Periferia, Premiação de Coletivos Culturais que realizam a Gestão Comunitária em Espaços Públicos Ociosos na Cidade de São Paulo, Fomento à Dança, Fomento ao Teatro, Apoio à Linguagens Artísticas – Reggae, Prêmio Zé Renato, Mapeamento e Credenciamento de Gestão Compartilhada de Espaços Ociosos e Contratação de Serviços para a Comissão Organizadora – Diálogos.

Com informações do Metrópoles

Avatar de Julinho Bittencourt

Julinho Bittencourt

Jornalista, editor de Cultura da Fórum, cantor, compositor e violeiro com vários discos gravados, torcedor do Peixe, autor de peças e trilhas de teatro, ateu e devoto de São Gonçalo - o santo violeiro.

Em 2021, escolha a Fórum.

Fazer jornalismo comprometido com os direitos humanos e uma perspectiva de justiça social exige apoio dos leitores. Porque se depender do mercado e da publicidade oficial de governos liberais esses projetos serão eliminados. Eles têm lado e sabem muito bem quem devem apoiar.

Por isso, neste momento que você está renovando suas escolhas e está pensando em qual site apoiar, que tal escolher a Fórum?

Se fizer isso, além de garantir tranquilidade para o nosso trabalho, você terá descontos de no mínimo 50% nos cursos que já temos em nossa plataforma do Fórum Educação.

Renato Rovai
Editor da Revista Fórum

APOIAR