Câmara do RJ arquiva PL de Carluxo contra pessoas trans no esporte

A proposta foi engavetada, definitivamente, depois que a Comissão de Justiça e Redação definiu, por unanimidade, que o município estaria contrariando a Constituição se aprovasse o projeto

As iniciativas bizarras, para dizer o mínimo, do vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ) não estão encontrando respaldo na Câmara do Rio de Janeiro. A Casa arquivou, definitivamente, o projeto de lei do filho do presidente, que tentava impedir pessoas trans de participarem de competições esportivas na cidade.

A proposta foi engavetada, depois que a Comissão de Justiça e Redação definiu, por unanimidade, que o município estaria contrariando a Constituição ao legislar a respeito de um assunto que cabe à União. As informações são do blog de Lauro Jardim, em O Globo.

O relator do PL na Câmara, contrário ao projeto de Carluxo, foi o vereador Isnaldo Bulhões (Republicanos-RJ). Curiosamente, ele é colega de partido do filho de Jair Bolsonaro.

Preconceito

Carlos Bolsonaro usou como justificativa em seu projeto argumentos preconceituosos, como: “Ativistas LGBT defendem que pais e mães devem permitir que seus filhos decidam, na mais tenra idade, questões de identidade sexual, fato este que está gerando um número gigantesco de absurdos”.

Em outro trecho, Carluxo aponta que, desde novembro de 2015, quando foi publicado um novo guia de diretrizes do Comitê Olímpico Internacional (COI), “atletas transexuais e travestis passaram a ser aceitos em campeonatos femininos de vários países e, com isso, centenas de mulheres perderam o direito de competir em condições de igualdade, já que o corpo masculino é, por natureza, mais forte e resistente”. 

Avatar de Lucas Vasques

Lucas Vasques

Jornalista e redator da Revista Fórum.