Fórumcast #20
30 de maio de 2019, 19h40

Brasileiros no exterior também se mobilizam pela educação

Se a metáfora é que o Brasil viveu um tsunami da educação neste 30 de maio, que inundou as ruas de centenas de cidades do país, também poderia dizer-se que este recebeu algumas ondas enviadas pelos brasileiros espalhados pelo mundo afora

Brasileiros em Coimbra mobilizados pela Educação (foto: coletivo Vozes no Mundo)

Se a metáfora é que o Brasil viveu um tsunami da educação neste 30 de maio, que inundou as ruas de centenas de cidades do país, também poderia dizer-se que este recebeu algumas ondas enviadas pelos brasileiros espalhados pelo mundo afora, assim como de estrangeiros que apoiam a defesa da democracia, contra o governo de Jair Bolsonaro.

Os apoios mais numerosos, ao menos na Europa, vieram de Portugal, que registou duas manifestações. Em Lisboa, um grupo de centenas de brasileiros e portugueses se reuniu na Praça Luís de Camões, convocado pelo coletivo Andorinha. Além das críticas aos cortes de verbas do Ministério da Educação e à reforma da Previdência, também houve faixas e cartazes dizendo “Lula Livre” e “Marielle Vive”.

Outro grupo de similar tamanho se encontrou em Coimbra, na Praça da República, organizado pelo coletivo Vozes do Mundo – Frente Pela Democracia no Brasil, e empurrados por gritos de “Lula livre”, “Marielle presente”, “Paulo Freire presente” e por um canto que dizia “na nossa educação ninguém põe a mão”.

O protesto em Londres reuniu dezenas de professores e estudantes brasileiros residentes na capital britânica, que se manifestaram em frente à Embaixada do Brasil. Os participantes eram ligados a duas organizações responsáveis pela convocatória do ato: Academics foi Freedom Brazil e BWAF (Brazilian Women Against Fascism).

Veja também:  Bolsonaro é retratado por cartunista francês na Charlie Hebdo fazendo "cocô em todo mundo"

Em Genebra (Suíça), brasileiros e europeus ligados ao Coletivo Grito organizaram um “Piquenique da Balbúrdia”, no Parque Perle du Lac, onde fizeram cartazes de apoio às marchas no Brasil e à luta pela defesa da Educação Pública.

Também foram registrados atos em outras cidades europeias, como Amsterdã, Dublin e Barcelona, entre outras. Entre o fim de tarde e o começo da noite, na hora de Brasília, estão previstos atos em cidades dos Estados Unidos (como Nova York, Los Angeles e Boston, entre outras) e da América do Sul (como Buenos Aires e Santiago do Chile).

Confira as imagens dos brasileiros pela educação ao redor do mundo:

Cartazes da manifestação brasileira em Lisboa (foto: Stefani Costa)

Manifestação em frente à Embaixada do Brasil em Londres (foto: reprodução Twitter @uneoficial)

Manifestante brasileira manda o seu recado (foto: Pedro Prola)

Piquenique pela educação em Genebra (foto: Coletivo Grito)

Veja também:  Esquerda reage à fala de Bolsonaro contra opositores: estimula ódio e perseguição a oposicionistas

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum