Documentos inéditos comprovam que Brasil colaborou com golpe no Chile

Papéis foram divulgados pela inteligência do National Security Archive dos EUA, formado por por acadêmicos e jornalistas investigativos

Documentos de inteligência divulgados pelo National Security Archive dos Estados Unidos, nesta quarta-feira (31), comprovam que o Brasil se empenhou ativamente para derrubar o presidente chileno Salvador Allende (1970-1973) e elevar o ditador Augusto Pinochet.

A organização sediada em Washington, fundada por acadêmicos e jornalistas investigativos, publicou em seu site 12 arquivos antes secretos, que mostram “o esforço do regime brasileiro para subverter a democracia e apoiar a ditadura no Chile”.

Entre os textos há um telegrama enviado em março de 1971 pelo então embaixador do Chile no Brasil, Raúl Rettig, ao Ministério das Relações Exteriores do seu país, com o alarmante título: “Forças Armadas brasileiras possivelmente realizando estudos sobre guerrilheiros sendo introduzidos no Chile”.

Também foi revelada a existência de uma sala de operações no Brasil com mapas da Cordilheira dos Andes, para planejar como se infiltrar.

Em sua mensagem, Rettig prossegue: “As Forças Armadas brasileiras aparentemente enviaram ao Chile vários agentes secretos, que teriam entrado no país como turistas, com a intenção de obter mais informações sobre as possíveis regiões em que um movimento guerrilheiro poderia operar.”

Leia o teto completo no DW

Avatar de Julinho Bittencourt

Julinho Bittencourt

Jornalista, editor de Cultura da Fórum, cantor, compositor e violeiro com vários discos gravados, torcedor do Peixe, autor de peças e trilhas de teatro, ateu e devoto de São Gonçalo - o santo violeiro.

Você pode estar junto nesta luta.

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR