Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
26 de fevereiro de 2019, 20h14

Em discurso, Maduro diz que a Venezuela é revolucionária e paga o preço de sua valentia

“Aqui temos coragem, rebeldia para enfrentar o imperialismo norte-americano. Não temos medo, vamos seguir avançando na construção de nosso próprio modelo de país”, afirmou durante a Assembleia Internacional dos Povos, em Caracas

Foto: Reprodução/Vídeo

Em discurso nesta terça-feira (26), durante a Assembleia Internacional dos Povos (AIP), que acontece em Caracas, o presidente da Venezuela Nicolás Maduro reafirmou a importância de manter a coragem, no momento em que forças conservadoras tentam fragilizar seu governo.

“Não se é livre, não se é revolucionário impunemente. Há que se pagar o preço da valentia e da coragem. E nós pagamos esplendidamente. Batalhamos pelo destino de nossa nação”, disse.

Maduro ressaltou a felicidade que sente por seguir pelo caminho vitorioso da revolução, depois de tantas lutas, por direito à educação, ao trabalho, à segurança social, à saúde, paz, convivência. “Depois de tantas lutas, aqui estamos de pé”.

O presidente venezuelano agradeceu à solidariedade e perseverança dos povos irmãos. “Aqui temos coragem, rebeldia para enfrentar o imperialismo norte-americano. Não temos medo, vamos seguir avançando na construção de nosso próprio modelo de país. A batalha pela Venezuela não é só nossa. É uma batalha pela independência, pela paz”.

“Muro da indignidade”

Maduro atacou a “obsessão de Donald Trump, que quer construir um muro que separe o México dos Estados Unidos. Um muro fascista, um muro cheio de racismo, de indignidade e vergonha”. E ressaltou perseguição sofrida pelos irmãos latino-americanos.

O presidente lembrou as conspirações que seu governo vem sofrendo e que sobreviveu a tudo sob a proteção de Deus. Foi quando arrancou risos da plateia, ao brincar afirmando que é marxista e leninista, mas tem certeza que Deus existe.

Lula

Antes do discurso, João Pedro Stedile, dirigente nacional do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) e articulador da Via Campesina Internacional, entregou a Maduro uma faixa onde estava escrito “Lula preso político”. “Trago um abraço do companheiro Lula, que está preso”, declarou Stedile, aplaudido.

O editor da Fórum, Renato Rovai, participa do evento. Nesta terça (26), ele ministrou uma palestra sobre comunicação e as mudanças no ecossistema informacional nos últimos anos.

Assista a íntegra:

Nossa sucursal em Brasília já está em ação. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Saiba mais.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum