Entrevista exclusiva com Lula
12 de junho de 2019, 14h57

Favorito para ser novo primeiro-ministro do Reino Unido promete oficializar brexit antes do prazo final

Boris Johnson, favorito de Steve Bannon e representante da ala mais radical do Partido Conservador, promete que o Reino Unido já não será parte da União Europeia no dia 31 de outubro: "não podemos mais adiar!".

Boris Johnson - Goto: johnhemming/Flickr

A disputa interna dentro do Partido Conservador britânico tem 9 candidatos, mas um deles com um favoritismo cada vez maior. Trata-se de Boris Johnson, que lançou oficialmente sua campanha nesta quarta-feira (12/6) com o slogan “um novo mandato, um novo otimismo, uma nova determinação”.

A nova determinação, segundo ele, é a de concluir o Brexit antes do dia 31 de outubro, que é o prazo estipulado depois do segundo adiamento realizado pela ex-primeira-ministra Theresa May, que é justamente quem Johnson pretende substituir.

Inscreva-se no nosso Canal do YouTube, ative o sininho e passe a assistir ao nosso conteúdo exclusivo

Ex-prefeito de Londres, atual parlamentar e representante da ala mais radical do partido, Johnson é o favorito de Donald Trump e Steve Bannon para ocupar o cargo. Também é conhecido como um dos maiores defensores do Brexit desde o começo, sendo inclusive um dos que impulsou dentro do partido a ideia de realizar o plebiscito, o que acabou acontecendo, em junho de 2016. Sua estratégia agora deve ser a de reforçar o perfil de “o cara do brexit” e garantir que ele é o candidato que não permitirá mais mudanças no cronograma para que o Reino Unido se separe definitivamente da União Europeia.

“Não podemos mais adiar!”, exclamou Johnson, diante de milhares de militantes do partido que encheram o comitê central da sua campanha, em Londres, e que também o escutaram dizer que “depois de três anos de discussões e dois adiamentos, nós temos que fazer o correto. No dia 31 de outubro, vamos estar fora União Europeia. Qualquer cenário diferente disso seria uma derrota”.

Tanta foi a prioridade ao tema que até mesmo quando alfinetou a oposição, ele usou o Brexit como argumento. “Um novo adiamento significará que o Reino Unido acabe sendo governando por Jeremy Corbyn (líder do Partido Trabalhista). Se nós (os conservadores) continuarmos empurrando as datas para frente, daremos um tiro no pé”, considera o candidato, em alusão também a alguns dos seus adversários na luta pela liderança do partido (e também pelo cargo de primeiro-ministro, claro), que demonstram uma postura mais moderada.

A crítica de Johnson a Corbyn também se refere ao fato de que o opositor defende a realização de novas eleições gerais para eleger o primeiro-ministro, tendo em vista o fracasso dos conservadores na negociação do Brexit até agora.

Com informações do The Guardian.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum