Fórumcast, o podcast da Fórum
12 de junho de 2019, 14h57

Favorito para ser novo primeiro-ministro do Reino Unido promete oficializar brexit antes do prazo final

Boris Johnson, favorito de Steve Bannon e representante da ala mais radical do Partido Conservador, promete que o Reino Unido já não será parte da União Europeia no dia 31 de outubro: "não podemos mais adiar!".

Boris Johnson - Goto: johnhemming/Flickr

A disputa interna dentro do Partido Conservador britânico tem 9 candidatos, mas um deles com um favoritismo cada vez maior. Trata-se de Boris Johnson, que lançou oficialmente sua campanha nesta quarta-feira (12/6) com o slogan “um novo mandato, um novo otimismo, uma nova determinação”.

A nova determinação, segundo ele, é a de concluir o Brexit antes do dia 31 de outubro, que é o prazo estipulado depois do segundo adiamento realizado pela ex-primeira-ministra Theresa May, que é justamente quem Johnson pretende substituir.

Inscreva-se no nosso Canal do YouTube, ative o sininho e passe a assistir ao nosso conteúdo exclusivo

Ex-prefeito de Londres, atual parlamentar e representante da ala mais radical do partido, Johnson é o favorito de Donald Trump e Steve Bannon para ocupar o cargo. Também é conhecido como um dos maiores defensores do Brexit desde o começo, sendo inclusive um dos que impulsou dentro do partido a ideia de realizar o plebiscito, o que acabou acontecendo, em junho de 2016. Sua estratégia agora deve ser a de reforçar o perfil de “o cara do brexit” e garantir que ele é o candidato que não permitirá mais mudanças no cronograma para que o Reino Unido se separe definitivamente da União Europeia.

“Não podemos mais adiar!”, exclamou Johnson, diante de milhares de militantes do partido que encheram o comitê central da sua campanha, em Londres, e que também o escutaram dizer que “depois de três anos de discussões e dois adiamentos, nós temos que fazer o correto. No dia 31 de outubro, vamos estar fora União Europeia. Qualquer cenário diferente disso seria uma derrota”.

Tanta foi a prioridade ao tema que até mesmo quando alfinetou a oposição, ele usou o Brexit como argumento. “Um novo adiamento significará que o Reino Unido acabe sendo governando por Jeremy Corbyn (líder do Partido Trabalhista). Se nós (os conservadores) continuarmos empurrando as datas para frente, daremos um tiro no pé”, considera o candidato, em alusão também a alguns dos seus adversários na luta pela liderança do partido (e também pelo cargo de primeiro-ministro, claro), que demonstram uma postura mais moderada.

A crítica de Johnson a Corbyn também se refere ao fato de que o opositor defende a realização de novas eleições gerais para eleger o primeiro-ministro, tendo em vista o fracasso dos conservadores na negociação do Brexit até agora.

Com informações do The Guardian.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum