Fórumcast #20
02 de agosto de 2018, 11h38

Francisco muda doutrina da Igreja e pena de morte passa a ser inadmissível

A mudança foi incluída no Catecismo da Igreja Católica, a compilação oficial da doutrina da religião, segundo comunicado divulgado pelo Vaticano nesta quinta (2)

Por ordem do papa Francisco, a Igreja Católica alterou sua doutrina sobre a pena de morte, que passa a ser considerada inadmissível em todos os casos. O anúncio foi feito pelo Vaticano nesta quinta-feira (2).
A mudança foi incluída no Catecismo da Igreja Católica, a compilação oficial da doutrina da religião.

“A Igreja ensina, à luz do Evangelho, que a pena de morte é inadmissível, porque atenta contra a inviolabilidade e a dignidade da pessoa, e se compromete com determinação por sua abolição em todo o mundo”, afirmou o pontífice.

A Igreja de 1,2 bilhão de membros permitiu a pena de morte em casos extremos durante séculos, mas seu posicionamento começou a mudar sob o regime do papa João Paulo 2º, que morreu em 2005. Antes disso, a Igreja  autorizava seu uso em algumas circunstâncias, quando “era o único jeito possível de defender efetivamente a vida humana contra agressões injustas”, dizia a doutrina.

Segundo o comunicado, a antiga regra já não funcionava mais porque há novas formas de proteger a sociedade. “Há um entendimento cada vez maior de que a dignidade da pessoa não está perdida mesmo após a prática de crimes muito sérios”, diz o texto.

“Além disso, surgiu um novo entendimento sobre o significado das sanções penais impostas pelo Estado. Finalmente, foram desenvolvidos sistemas de detenção mais eficazes, que asseguram a devida proteção aos cidadãos, mas ao mesmo tempo, não privam definitivamente os culpados da possibilidade de resgate”.

Veja também:  Lava Jato contra-ataca e PF de Moro coloca Guido Mantega na mira novamente

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum