Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
17 de julho de 2018, 10h27

HQ de brasileiro sobre escravidão concorre ao maior prêmio de quadrinhos do mundo

O HQ é composto por quatro contos que se baseiam em documentos reais para retratar a resistência dos escravos ao sistema colonial

O quadrinista Brasileiro Marcelo D'Salete (Foto: Rafael Roncato/ Divulgação)

O HQ “Cumbe” (2014), de Marcelo D’Salete, 38, é o único trabalho brasileiro a concorrer ao Eisner 2018, maior prêmio de quadrinhos do mundo.

Lançada nos últimos quatro anos nos EUA, em Portugal, na França, na Itália e na Áustria, “Cumbe” é composta por quatro contos que se baseiam em documentos reais para retratar a resistência dos escravos ao sistema colonial.

HQ “Cumbe”, de Marcelo d’ Salete (divulgação)

O troféu será entregue nesta sexta (20), no evento de cultura pop Comic Con, em San Diego, na Califórnia.

A história tem quase 200 páginas, desenhadas em preto e branco e narradas com poucos diálogos. D’Salete transforma em ficção histórias encontradas em relatos antigos, tentando imaginar a perspectiva do escravizado frente aos desmandos do período colonial.

A indicação à categoria de melhor edição americana de material estrangeiro demonstra, segundo D’Salete, o interesse crescente do público pela história da escravidão e do negro no Brasil.

D’Salete ficou surpreso com a repercussão: “Talvez isso se deva ao fato de que hoje temos um público negro de leitores cada vez maior e um público não negro também muito interessado. Acredito que isso venha da vontade de compreender melhor a nossa sociedade.”

Premiação anual criada em 1988, nos EUA, o Will Eisner Comic Industry Awards é considerado Oscar da indústria dos quadrinhos.

Leia a matéria completa na Folha

HQ “Cumbe”, de Marcelo d’ Salete (divulgação)


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum