Impeachment nos EUA: acusação mostra vídeo inédito onde invasores do Capitólio gritam “lutar por Trump”

Segundo o vídeo, “fight for Trump” e “stop the steal” (parem com o roubo), outro lema lançado pela equipe comunicacional do ex-presidente, foram os gritos mais ouvidos durante o ataque à sede legislativa

Nesta quarta-feira (10), o Senado dos Estados Unidos viveu a segunda sessão do julgamento político do ex-presidente Donald Trump, a qual foi marcada pela apresentação de um vídeo inédito por parte da acusação, no qual se podem ver novos detalhes a respeito da invasão ao Capitólio no último dia 6 de janeiro.

O processo avalia se Trump incitou os grupos de extrema-direita a realizar a invasão, e entre as novas informações apresentadas no vídeo desta quarta se destacam os gritos de guerra do grupo de manifestantes que conseguiu ingressar ao edifício sede do Poder Legislativo estadunidense.

Os dois gritos mais claramente identificados no vídeo foram “stop the steel” (“parem com o roubo”, lema lançado pelo próprio ex-presidente e reforçado por sua equipe comunicacional durante todo o mês de dezembro) e “fight for Trump” (“lutar por Trump”).

Este segundo chamou mais a atenção, não só porque faz alusão direta ao empresário, mas também porque não havia sido identificado em outros vídeos sobre a invasão ao Capitólio divulgados até então.

Outro momento que chamou a atenção foi quando um segurança do edifício é esmagado pela multidão, a ponto de gritar de dor enquanto os manifestantes o empurram contra uma porta.

O vídeo tem 13 minutos, foi apresentado pelo congressista Jamie Raskin, do Partido Democrata, um dos responsáveis pela acusação neste processo de impeachment, e reproduzido na íntegra na página do jornal The New York Times.

Avatar de Victor Farinelli

Victor Farinelli

Jornalista formado pela Universidade Católica de Santos, há 15 anos é correspondente na Argentina (2004 e 2005) e no Chile (desde 2006).

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR