Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
27 de março de 2019, 08h55

“Papa não quer ser tratado como rei”, diz vaticanista sobre recusa em beijo no anel

O vídeo dos cumprimentos após uma celebração em Loreto ganhou as redes sociais. Ao receber os fiéis, Francisco retira a mão quando alguns tentam beijá-la no anel de São Pedro, símbolo do poder papal

Papa no ritual de bacciamano (Reprodução)

A recusa do Papa Francisco em aceitar beijos no “anel do pescador” – um dos símbolos do poder papal – está ligado ao incômodo de Jorge Mario Bergoglio com a mistificação do cargo. “O papa não quer ser tratado como um rei. Seu gesto foi explícito nesse sentido”, disse Paolo Rodari, vaticanista do jornal italiano La Repubblica.

O vídeo dos cumprimentos após uma celebração em Loreto, cidade a 280 km de Roma, onde o pontífice esteve na segunda-feira (25), ganhou as redes sociais após o evento. Ao receber os fiéis, Francisco retira a mão quando alguns tentam beijá-la no anel. Ele repete o gesto várias vezes.

Francisco, como todos os outros papas, recebeu quando eleito o “anel do pescador” (referência a são Pedro, que era pescador e é o padroeiro da categoria), usado na mão direita e um dos símbolos da investidura do poder papal.

O vídeo é o novo capítulo da polêmica entre conservadores e progressistas que agita os bastidores do Vaticano.

O “baciamano”, como se diz no Vaticano, é um antigo ritual de reverência do catolicismo — ao papa e em alguns casos a bispos e cardeais, que também usam o anel como símbolo espiritual.

A recusa em receber os beijos segue a política do argentino à frente do Vaticano.

Eleito há pouco mais de seis anos, Jorge Mario Bergoglio deixou claro seu objetivo de mudar a imagem e a cultura da Igreja Católica, aproximando-a dos fiéis.

Ele já pediu aos seus subordinados no Vaticano para não agirem como “príncipes”.

O que chamou a atenção e não escapou das críticas da ala conservadora que faz oposição aberta ao pontífice foram os gestos bruscos ao recusar o beija-mão em Loreto – além de seu visível desconforto.

Nossa sucursal em Brasília já está em ação. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Saiba mais.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum