Peru: Partido de Pedro Castillo vive racha após composição de novo gabinete

"Pensam que com um tuíte se muda o país, mas não é assim", disse Pedro Castillo após Peru Livre anunciar que não vai apoiar novo gabinete

O presidente Pedro Castillo, do Peru, vive mais uma crise em seu governo. Desta vez, o partido Peru Livre, que o elegeu, decidiu que votará contra o novo gabinete formado por Castillo na última semana. O anúncio foi feito nesta quinta-feira (15). O presidente

“O Peru Livre não dará voto de confiança ao gabinete, anuncia expulsões e recomposição da sua bancada”, anunciou Vladimir Cerrón, dirigente nacional do Peru Livre, em seu perfil no Twitter. Cerrón compartilhou resolução de Assembleia Nacional Extraordinária da legenda.

Notícias relacionadas

Novo gabinete

A decisão acontece uma semana depois de Castillo promover mudanças no gabinete presidencial. O deputado Guido Bellido (Peru Livre) saiu do posto de presidente do Conselho de Ministros – equivalente à Casa Civil – para dar lugar à ex-congressista Mirtha Vásquez (Frente Ampla).

Vásquez foi presidenta do Congresso após o golpe frustrado de Manuel Merino em 2020 e foi uma figura importante na garanti da posse de Pedro Castillo diante das manobras fraudulentas de Keiko Fujimori. A escolha da ex-congressista, que é progressista e que se mostrou hábil politicamente durante o exercício da presidência do Congresso, surgiu como uma forma de conseguir governabilidade no país que vive mergulhado em uma incessante instabilidade política.

Bellido, que deixou o posto, era uma figura muito próxima de Cerrón e da cúpula do Peru Livre. Sua queda gerou irritação na direção do partido que cresceu nas eleições de 2021 junto de Castillo. A legenda conseguiu a maior bancada no Congresso naquele pleito, com 37 parlamentares, mas ainda está longe da maioria. No total, são 130 cadeiras.

Nota do Peru Livre

Na nota, o Peru Livre afirma que “existe um inocultável giro político do governo e seu gabinete à centro direita, com representantes caviares que possuem financiamento externo”. Dessa maneira, o partido afirma que votará contra o “gabinete caviar” no Congresso. No país, é necessário um “voto de confiança” legislativo para a composição de um governo. Bellido havia conquistado isso em agosto.

Congressistas próximos de Castillo, majoritariamente professores, também foram atacados na nota. O partido ainda reclamou que duas ministras ‘perulivristas’ do gabinete foram escolhidas pelo presidente e não pela bancada.

Castillo recebe apoio

A decisão sacudiu o país. Congressistas do Novo Peru, partido que se uniu com Castillo no segundo turno e possui representantes no gabinete, se colocaram ao lado do presidente e pregaram a unidade de esquerda. “Depois de décadas, finalmente temos um governo do povo, no qual direita tenta desestabilizar. Por isso, hoje a unidade entre nós é fundamental. Convido meus irmãos do Peru Libre à reflexão: não caiamos no jogo da direita de deixar nosso presidente isolado”, escreveu Isabel Cortez no Twitter.

Publicidade

Dentro do Peru Livre, também houve reações favoráveis a Castillo. “Ratifico meu apoio ao presidente Pedro Castillo e o gabinete que dirige Mirtha Vásquez. Também faço um apelo à unidade da bancada. Para além das divergências, o desafio de transformar o nosso Peru exige o esforço conjunto de todos nós que queremos mudanças fundamentais”, disse o deputado Oscar Zea.

Após as polemicas, Cerrón afirmou que o Peru Livre não estava se colocando na oposição ao presidente, apenas “está contra as ONGs norte-americanas que conquistaram o gabinete”.

Publicidade

Castillo reage

Castillo também reagiu e negou que tenha girado à direita. “Hoje tudo mudou, hoje até pensam que com um tuíte se muda o país, mas não é assim. O país muda trabalhando, o país está mudando por estar ao lado da população, lutando com ela”, disse.

“Me submeto mais uma vez ao povo, aos ronderos, aos professores. Se virem ou detectarem que estamos roubando um centavo do país, venham às ruas, venham conversar, porque viemos pela vontade popular do povo, trabalhar para o povo”, completou.

Confira a nota do Peru Livre:

Avatar de Lucas Rocha

Lucas Rocha

Lucas Rocha é formado em jornalismo pela Escola de Comunicação da UFRJ e cursa mestrado em Políticas Públicas na FLACSO Brasil. Carioca, apaixonado por carnaval e pela América Latina, é repórter da sucursal do Rio de Janeiro da Revista Fórum e apresentador do programa Fórum Global

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR