Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
17 de fevereiro de 2020, 17h03

Petro, candidato derrotado à presidência da Colômbia, denuncia ataque contra casa da sua mãe

Grupo invadiu a residência de Claudia Urrego, mãe do senador progressista Gustavo Petro, causou destruição na casa, mas não roubou nada. Família relata que ameaças são constantes desde 2018.

O ex-guerrilheiro e ex-prefeito Gustavo Petro, segundo lugar nas pesquisas (Foto: Telesur)

A violência política continua sendo elemento constante na política colombiana, e quem a viveu neste fim de semana foi a mãe do senador opositor Gustavo Petro.

Na manhã deste domingo (16), a senhora Claudia Urrego, mãe do senador progressista, teve sua casa atacada por um grupo anônimo, que, segundo a família, não roubou nenhum pertence, “somente causaram destruição de boa parte da estrutura da residência”, segundo informou-se, através de um comunicado.

A destruição causada, e o fato de não ter havido roubo, fizeram Petro afirmar que considera o crime como um ato de intimidação. “Essas coisas são fruto de um Estado que permite a violência contra quem pensa diferente do governo”, declarou o senador.

Através de sua conta no Twitter, Petro também disse que “vocês escutam todos os dias que a Colômbia é um país democrático, e já me ouviram responder que não é verdade, pois bem, isso acontece repetidas vezes na casa da minha mãe, sendo eu o principal dirigente da oposição: entraram, quebraram tudo, e não levaram nada”.

O senador progressista também lembrou, em outra declaração, que a perseguição contra líderes políticos na Colômbia se dá em diferentes níveis, e é muito pior contra líderes regionais, que não sofrem só com ameaças, mas sim com assassinatos sumários: desde 2018, já são mais de 300 líderes de movimentos sociais mortos em atentados, segundo a organização CCPP (Colombianas e Colombianos Pela Paz).

Gustavo Petro foi o principal adversário do atual presidente, Iván Duque, nas eleições de 2018. No segundo turno, ele teve 42,1%, maior percentual alcançado pela esquerda colombiana em sua história. Desde o segundo turno de 2018, Petro denuncia que sua mãe e outros membros da sua família sofrem constantes ameaças de morte, por telefone ou email.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum