Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
27 de fevereiro de 2020, 19h05

Rafael Correa lidera pesquisa no Equador e dois indígenas estão empatados no segundo lugar

Além da vantagem enorme na liderança, Correa conta com a recuperação de sua imagem positiva, que já é de 59,2%, enquanto o governo de Lenín Moreno é aprovado somente por 7,8%

Ainda falta pouco menos de um ano para as eleições no Equador, mas a disputa presidencial já é o tema principal das conversas no país.

E mais agora, com a divulgação da primeira pesquisa eleitoral realizada pelo CIEE (Centro de Investigação e Estudos Especializados), um dos mais prestigiados do país, mostrando uma grande vantagem do ex-presidente Rafael Correa, que lidera as intenções.

Segundo o instituto, Correa tem 33,1% das preferências do eleitorado, e uma vantagem de quase 20 pontos sobre o segundo colocado, que é o democrata-cristão Jaime Nebot, ex-prefeito de Guaiaquil, que tem 13,8%.

A grande surpresa da sondagem é a aparição de dois líderes indígenas virtualmente empatados com o político tradicional que é segundo colocado. Um dele é Jaime Vargas, de 40 anos e presidente da CONAIE (Confederação de Nacionalidades Indígenas do Equador), que tem 13,7%. O outro é Leonidas Iza, de 38 anos e presidente do Movimento Indígena e Camponês de Cotopaxi, que tem 12,4%.

Ambos superam os demais acima da margem de erro, e esses demais são simplesmente o banqueiro Guillermo Lasso, que foi segundo colocado nas últimas eleições presidenciais, mas que agora só tem 7,7%, e Otto Sonnenholzner, atual vice-presidente e candidato governista, com apenas 2,3%.

Outro dado importante da pesquisa do CIEE é que mostrou que a popularidade de Correa voltou a crescer e sua imagem positiva já é de 59,2%. A diferença com o atual Lenín Moreno, cujo governo conta com apenas 7,8% de aprovação, é gritante.

Porém, vale lembrar que as eleições presidenciais no Equador acontecerão somente no dia 7 de fevereiro de 2021.

Além disso, os processos judiciais impulsionados pelo governo de Moreno contra Correa, através do seu Ministério da Justiça, impedem que sua candidatura seja viável, ao menos até o momento. O ex-presidente só não está preso porque se encontra em asilo político na Bélgica, país onde nasceu sua esposa.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum