Fórumcast #19
01 de julho de 2019, 22h51

Senegal apreende carga com quase 800 kg de cocaína proveniente do Brasil

Carga foi encontrada dentro de automóveis que saíram do porto de Paranaguá (PR)

Autoridades senegalesas interceptaram, nesta quinta-feira (1), 798 kg de cocaína que estavam sendo transportados dentro de carros que estavam em um navio. Os veículos da marca Renault tinham embarcado em navio no porto de Paranaguá, no Paraná, e foi apreendidos no porto de Dacar, capital do país africano. Quinze pessoas foram detidas na ação da policial local. Entre os presos estão senegaleses e pessoas de outras nacionalidades.

O itinerário do navio Grande Nigéria depois de sair do Brasil e passar no Senegal era ainda aportar na cidade de Thema, em Gana; Luanda, em Angola; e Hamburgo na Alemanha. A embarcação tem como proprietário o Grupo Grimaldi, que tem sede em Nápoli, na Itália. Outro navio pertencente a empresa também foi detido na semana passada com drogas dentro de automóveis da marca Renault. Na ocasião foram apreendidos 238 kg de cocaína. Este navio também saiu do mesmo porto brasileiro.

Inscreva-se no nosso Canal do YouTube, ative o sininho e passe a assistir ao nosso conteúdo exclusivo

Veja também:  Efeito Argentina: Com golpe renda de brasileiros desaba e leva 23,3 milhões de volta à pobreza

De acordo com o Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime, em informe divulgado no último dia 26 de junho, em 2017 foram aprendidos 3,3 toneladas de cocaína na África. A maioria desses apreensões foram feitas em Marrocos. A parte ocidental do continente faz parte do roteiro do tráfico internacional de drogas, que sai da América do Sul, passa pela região até chegar à Europa.

Na semana passada o tráfico de cocaína, que tem o Brasil como rota, foi destaque na imprensa mundial. 39 kg da droga foram encontrados na bagagem de um sargento da Aeronáutica brasileira que viajava na comitiva do presidente Jair Bolsonaro, que foi para a reunião do G-20 no Japão.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum