Trump mandou FBI investigar filho de Biden

Notícia foi confirmada por autoridades estadunidenses, revelada por repórter investigativo, e teria relação com uma suposta ligação com esquema de lavagem de dinheiro

Quem acha que operacionalizar a Polícia Federal é uma ideia original da extrema-direita brasileira se enganou. Nesta quinta-feira (29), o Departamento de Justiça dos Estados Unidos confirmou que o FBI (sigla em inglês do Departamento Federal de Investigação), está investigando Hunter Biden, filho do senador Joe Biden, ao menos desde meados do ano passado.

A confirmação surgiu depois que a informação foi revelada pelo jornalista James Rosen, do Sinclair Broadcast Group, em uma mensagem publicada em sua conta de Twitter.

Na mensagem, Rosen assegura que “o FBI abriu uma investigação a Hunter Biden e seus associados em 2019, focada em suspeitas de ligação com esquema de lavagem de dinheiro, e que permanece aberta e ativa até hoje”.

O jornalista também destaca que a investigação foi iniciada quando a Casa Branca já tinha conhecimento de que Joe Biden, pai de Hunter, era o favorito do establishment do Partido Democrata para ser o presidenciável – e, portanto, o adversário do presidente estadunidense Donald Trump em sua corrida pela reeleição.

A denúncia de Rosen também envolve um antigo sócio de Hunter Biden, um empresário chamado Tony Bobulinski, que foi entrevistado pelo jornalista e afirmou ter sido interrogado por agentes do FBI durante 5 horas, no dia 23 de outubro. Ele também disse que foi obrigado a entregar seus telefones para que fossem analisados, e que os investigadores disseram que ele era apontado como “testemunha material” do caso que envolve o filho do presidenciável democrata.

Avatar de Victor Farinelli

Victor Farinelli

Jornalista formado pela Universidade Católica de Santos, há 15 anos é correspondente na Argentina (2004 e 2005) e no Chile (desde 2006).